1 de Novembro de 2015 / às 14:52 / em 2 anos

Destroços de avião no Egito carregam bagagem de turistas

HASSANA, Egito (Reuters) - Em uma área desolada de solo pétreo, resta pouco do avião russo que desabou na península do Sinai, no Egito, exceto pelos destroços e por um amontoado de maletas colridas.

Equipes de resgate limparam a área em que caiu o Airbus A321 no sábado, coletando em uma pilha os pertences dos turistas mortos que estavam espalhados em torno da parte principal dos destroços.

Uma sandália rosa para crianças decorada com flores brancas estava entre os detritos, uma lembrança de que 17 crianças estavam entre as 224 pessoas a bordo do voo do resort de Sharm el-Sheik, no Mar Vermelho, a São Petesburgo, hoje todas mortas.

Pelo menos 163 dos corpos já foram recuperados do jato, operado pela companhia áerea russa Kogalymavia sob o nome de Metrojet, e transferidos a hospitais e necrotérios na capital Cairo.

Na manhã deste domingo, uma equipe de resgate e investigação composta por cerca de 100 russos se juntou à busca pelos corpos remanescentes e por evidência para esclarecer o que aconteceu.

Era possível ver roupas, carregadas pelos turistas que voltavam para casa de Sharm al-Sheikh --um dos destinos favoritos de russos que buscam sol no inverno-- espalhadas pelo terreno.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below