12 de Novembro de 2015 / às 10:26 / 2 anos atrás

Gregos entram em greve contra austeridade, em teste para premiê Tsipras

Manifestantes em protesto anti-austeridade em Atenas. 12/11/2015 REUTERS/Michalis Karagiannis

ATENAS (Reuters) - Trabalhadores gregos ficaram em casa nesta quinta-feira em protesto contra medidas de austeridade, no maior desafio interno para o governo de Alexis Tsipras desde sua eleição, em setembro, com a promessa de amortecer o impacto de anos de dificuldades econômicas.

Muitos voos foram cancelados, hospitais tiveram equipes reduzidas, navios ficaram atracados nos portos e escritórios públicos fecharam pelo país, na primeira greve nacional convocada pelos maiores sindicatos dos setores público e privado da Grécia em um ano.

Tsipras chegou ao poder inicialmente em janeiro prometendo um fim à austeridade imposta pelos credores internacionais da Grécia, mas aceitou os termos impopulares de um terceiro pacote de resgate quando confrontado pela perspectiva de uma saída da zona do euro.

O premiê foi reeleito dois meses atrás em um mandato para implementar o acordo, jurando trabalhar duro para amortecer o impacto das medidas de austeridade, particularmente sobre os gregos mais vulneráveis.

Ilustrando o malabarismo político que Tsipras tenta realizar, o partido governista Syriza declarou apoio à greve.

As conversas com inspetores da União Europeia e do Fundo Monetário Internacional (FMI) foram retomadas na quarta-feira em Atenas, como parte da primeira revisão do resgate grego.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below