19 de Novembro de 2015 / às 14:07 / 2 anos atrás

França confirma morte de suspeito de ser mentor dos ataques em Paris

PARIS (Reuters) - O homem suspeito de ser o mandante dos ataques que mataram 129 pessoas em Paris na semana passada está entre os mortos de uma operação policial realizada em um subúrbio parisiense, disseram autoridades francesa nesta quinta-feira.

Abdelhamid Abaaoud, suposto mentor dos ataques de Paris, em foto sem data publicada na revista online do Estado Islâmico, Dabiq. REUTERS/Internet

Abdelhamid Abaaoud, militante belga de 28 anos, foi acusado de orquestrar os ataques coordenados com tiros e homens-bomba na capital francesa, na sexta-feira.

A polícia primeiramente pensou que ele estivesse na Síria, mas as investigações levaram a uma casa em Saint-Denis, subúrbio a norte de Paris, e oficiais fortemente armados entraram no prédio e iniciaram uma intensa troca de tiros.

“Abdel Hamid Abaaoud foi formalmente identificado, após comparação de digitais, como morto durante a operação”, disse a promotoria de Paris em nota. “Foi o corpo que encontramos no prédio, coberto de balas”.

Mais tarde, um promotor disse que ainda não estava claro se Abaaoud havia detonado um cinturão de explosivos.

O primeiro-ministro francês, Manuel Valls, divulgou a notícia no Parlamento e recebeu aplausos de parlamentares que votavam pela extensão do estado de emergência do país por mais três meses.

“Soubemos hoje... que o mandante dos ataques -ou um deles, vamos continuar cautelosos- está entre os mortos”, disse Valls a repórteres.

A confirmação de que Abaaoud estava em Paris irá aumentar o foco de atenção sobre os serviços de segurança europeus, que após os ataques de sexta-feira pensavam que ele ainda estivesse na Síria.

“Essa é uma grande falha”, disse Roland Jacquard, presidente do Observatório Internacional de Terrorismo.

Na manhã de quarta-feira, investigações levaram a polícia a uma casa onde Abaaoud estava escondido no subúrbio parisiense de Saint-Denis.

Autoridades disseram na quarta que duas pessoas foram mortas na operação, incluindo uma mulher-bomba que se explodiu. Especialistas forenses tentavam determinar se uma terceira pessoa morreu. Oito pessoas foram presas.

Duas fontes policiais e uma fonte próxima à investigação disseram à Reuters que uma célula militante em Saint-Denis planejava um novo ataque ao distrito comercial de La Defense, em Paris. Um fonte próxima à investigação disse que a mulher-bomba que morreu pode ser prima de Abaaoud.

Investigadores acreditam que os ataques -os mais letais na França desde a Segunda Guerra Mundial- foram planejados na Síria, com células militantes na Bélgica organizando o atentado.

O Estado Islâmico, que controla vastos territórios na Síria e no Iraque, reivindicou responsabilidade, informando que os ataques foram uma retaliação por ataques aéreos franceses contra o grupo ao longo do último ano.

Reportagem de Ingrid Melander e Crispian Balmer

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below