24 de Novembro de 2015 / às 17:53 / em 2 anos

Oposição se une contra Cunha e diz que vai obstruir votações na Câmara

SÃO PAULO (Reuters) - Líderes de cinco partidos abandonaram nesta terça-feira a reunião de líderes da Câmara dos Deputados em protesto contra o presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e anunciaram que vão obstruir as votações na Casa.

Os líderes de PSDB, DEM, PPS, PSOL e Rede, partidos que somados ocupam 95 das 513 cadeiras da Câmara, anunciaram que vão obstruir todas as votações na Câmara enquanto Cunha ocupar a presidência.

Os líderes dos cinco partidos abandonaram a reunião de líderes comandada por Cunha e foram para o Conselho de Ética da Casa, que abriu sessão nesta terça para analisar o parecer preliminar do deputado Fausto Pinato (PRB-SP), pelo andamento do processo que pede a cassação do mandato de Cunha por quebra de decoro parlamentar.

De acordo com a liderança do PSDB na Câmara, a decisão de obstruir as votações não se aplica às sessões do Congresso Nacional, que é presidido pelo senador Renan Calheiros (PMDB-AL). O Congresso tem sessão marcada para esta terça para analisar vetos da presidente Dilma Rousseff e matérias orçamentárias, como a que altera a meta fiscal deste ano.

O PSB pode ainda se juntar ao grupo anti-Cunha, informou a liderança da bancada socialista, que tem 33 deputadas. A bancada do partido não abandonou a reunião de líderes desta terça-feira, mas discutirá se entra em obstrução contra Cunha em reunião da bancada no final desta tarde, segundo a liderança.

Cunha é acusado de ter mentido em depoimento dado neste ano à CPI da Petrobras quando afirmou que não possui contas no exterior. Documentos dos Ministérios Públicos do Brasil e da Suíça apontaram a existência de contas bancárias no nome de Cunha e de familiares no país europeu.

O presidente da Câmara também é alvo de inquérito autorizado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) por causa das contas na Suíça e de denúncia proposta pela Procuradoria-Geral da República ao Supremo, acusado de ter recebido pelo menos 5 milhões de dólares em propina do esquema de corrupção na Petrobras.

Cunha nega todas as irregularidades e já afirmou que seguirá na presidência da Câmara.

Por Eduardo Simões

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below