18 de Março de 2016 / às 00:40 / 2 anos atrás

Deputados elegem indicados pelo governo para relatoria e presidência da comissão do impeachment

Sessão da Câmara dos Deputados para eleger comissão especial de impeachment. 17/3/2016. REUTERS/Adriano Machado

BRASÍLIA (Reuters) - A comissão especial recém-criada pela Câmara dos Deputados para analisar a abertura do processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff terá como presidente o deputado Rogério Rosso (PSD-DF), enquanto Jovair Arantes (PTB-GO) será o relator, ambos indicados pela liderança do governo após acordo entre aliados, mas com relação próxima ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Por 62 votos a favor, nenhum contra e 3 abstenções, os integrantes da comissão concordaram com os dois nomes, mas também aprovaram a indicação do tucano Carlos Sampaio (SP) como vice-presidente dos trabalhos.

O acordo para a eleição de Rosso e Arantes foi fechado entre aliados e chancelado em reunião de líderes de bancadas com o presidente da Câmara, com quem os dois deputados têm proximidade.

O governo, partidos da base e outras bancadas menores desconheciam, no entanto, o conteúdo total do acordo, que incluía a eleição de Sampaio para a primeira vice. A segunda vice foi destinada ao deputado Maurício Quintella (PR-AL), e a terceira vice para Fernando Coelho Filho (PSB-PE).

“Com relação aos vice-presidentes, não participamos das tratativas”, declarou o líder do PMDB, Leonardo Picciani (RJ), pouco antes da eleição.

A deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ) destacou que a lei que trata do trâmite cita apenas a eleição do presidente e do relator da comissão, sem menção às vice-presidências, alertando que essa questão pode ser objeto de questionamento na Justiça.

O líder do DEM, Pauderney Avelino (AM), também não participou da reunião em que o acordo foi fechado, mas disse ter colocado, em reunião da oposição, que se oporia a qualquer nome do PT, PMDB ou PCdoB para os postos.

O primeiro ato de Rosso como presidente foi o de marcar nova sessão da comissão especial na próxima segunda-feira, às 17h, para apresentação dos planos de trabalho.

A comissão do impeachment, criada e instalada nesta quinta-feira, é composta por 65 deputados, e tem a responsabilidade de elaborar um parecer sobre o impeachment da presidente Dilma. A eventual posição da comissão favorável ao impeachment terá de ser submetida ao plenário da Câmara, e se aprovada, seguirá ao Senado para que seja iniciado o processo de julgamento.

Reportagem de Maria Carolina Marcello

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below