17 de Maio de 2016 / às 17:11 / em um ano

Líderes tentam retomar trabalhos da Câmara e reduzem pressão sobre Maranhão

BRASÍLIA (Reuters) - Líderes do chamado centrão, aliados ao PMDB, decidiram nesta terça-feira que irão retomar os trabalhos da Câmara e um clima de relativa estabilidade, o que inclui reduzir a pressão pela saída do deputado Waldir Maranhão (PP-MA) da presidência interina da Casa, justamente em um momento em que o novo governo precisa dos parlamentares para aprovar medidas prioritárias.

Maranhão em declaração à imprensa 9/5/2016 REUTERS/Adriano Machado

A saída encontrada pelo grupo, formado mais de dez partidos, que somados ao PMDB contabilizam quase 300 votos, é deixar Maranhão no posto e tocar a pauta da Casa a partir das reuniões do colégio de líderes. A primeira delas deve ocorrer na tarde desta terça-feira, quando será inaugurada uma fase de “teste” do deputado do PP no comando relativo da Câmara.

“Não podemos ficar trabalhando sob hipóteses. Temos um fato real, Waldir Maranhão é o presidente da Casa”, disse o líder do PTB, Jovair Arantes (GO), após reunião do centrão e do PMDB.

“Outro fato real é que o colégio de líderes também tem poder”, disse.

Questionado, Arantes descartou a possibilidade do presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-AL), renunciar ao cargo, o que abriria caminho para novas eleições à presidência da Casa.

“Você acha que pode resolver, você criar um problema de sucessão em um momento desse em que o Brasil precisa retomar o crescimento? O Brasil precisa de estabilidade política, nós vamos criar mais um problema político? Nós já temos problemas políticos de sobra”, disse o líder do PTB.

Na reunião da manhã desta terça, representantes do centrão e da maior bancada da Casa, o PMDB, decidiram indicar ao presidente interino da República, Michel Temer, o nome do deputado André Moura (PSC-SE) para a liderança do governo na Casa. A sugestão será oficializada em reunião com Temer prevista para o início da tarde, pouco antes da reunião do colégio de líderes da Câmara.

Segundo o líder do PP na Câmara, Aguinaldo Ribeiro (PB), a decisão partidária sobre a situação de Maranhão deve ficar para o fim do mês, quando está prevista uma reunião da Executiva da sigla.

Por Maria Carolina Marcello

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below