25 de Maio de 2016 / às 23:22 / em 2 anos

Caffarelli assumirá Banco do Brasil; Occhi vai presidir Caixa Econômica Federal

SÃO PAULO (Reuters) - O governo federal anunciou nesta quarta-feira a indicação de Paulo Caffarelli para assumir a presidência do Banco do Brasil e de Gilberto Occhi para comandar a Caixa Econômica Federal, concluindo a montagem dos principais nomes da equipe econômica do governo do presidente interino Michel Temer.

Paulo Caffarelli, indicado para asssumir o comando do Banco do Brasil, durante entrevista em São Paulo 23/05/ 2013. REUTERS/Nacho Doce

As nomeações chegam num momento de crescente escrutínio do mercado sobre os bancos públicos, que estão com a posição de capital mais baixa do que os rivais privados, na esteira de anos de crescimento acelerado da oferta de crédito, mesmo com a economia em desaceleração.

Caffarelli é funcionário de carreira do BB, onde foi vice-presidente das áreas de Varejo e de Atacado. Ele deixou o banco em 2014 para assumir a secretaria-executiva do Ministério da Fazenda, durante a gestão de Guido Mantega.

Em março do ano passado, Caffarelli assumiu como diretor da Companhia Siderúrgica Nacional e posteriormente passou a comandar a diretoria de Relações com Investidores.

A nomeação de Caffarelli para o BB acontece após especulações de que o governo teria inicialmente pensado em oferecer o comando do banco a Gustavo do Vale, que está deixando a presidência da Infraero.

Segundo uma fonte dentro do banco, no entanto, a indicação não teria sido bem recebido pelo corpo funcional do BB, já que Vale é funcionário de carreira do BC, embora tenha chegado a ser vice-presidente de Tecnologia e Infraestrutura do BB, em 2001.

Posteriormente, a equipe econômica de Temer considerou manter Alexandre Abreu no cargo, mas essa hipótese era vista com reservas por parte do mercado, porque o executivo é egresso da equipe da presidente afastada Dilma Rousseff.

Por último, um contato foi feito com o ex-vice-presidente de Finanças do banco, Ivan Monteiro, que hoje ocupa a mesma posição na Petrobras, e que teria recusado a oferta, disse a fonte do BB.

Funcionário de carreira da Caixa, Occhi foi superintendente regional e vice-presidente de Governo no banco. É tido dentro da instituição financeira como um técnico competente. Ele assume no lugar de Miriam Belchior, que foi exonerada nesta quarta-feira do cargo que ocupava desde o ano passado.

Em 2014, Occhi assumiu o comando do Ministério das Cidades, ainda no primeiro mandato de Dilma Rousseff. No ano seguinte se tornou ministro da Integração Nacional, cargo ao qual renunciou em abril, após seu partido, o PP, anunciar o desembarque da base aliada do governo, poucos dias antes da votação sobre o impeachment na Câmara dos Deputados.

Na semana passada, o governo já havia anunciado a economista Maria Sílvia Bastos para assumir a presidência do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), em substituição a Luciano Coutinho.

Edição Raquel Stenzel

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below