6 de Junho de 2016 / às 13:22 / em um ano

ONU alerta que batalha de Manbij pode deixar mais de 200 mil sírios desabrigados

GENEBRA (Reuters) - Uma ofensiva apoiada pelos Estados Unidos para retomar a cidade síria de Manbij das mãos do Estado Islâmico provocou a saída de cerca de 20 mil civis e pode expulsar cerca de 216 mil outros se continuar, afirmou uma agência humanitária da Organização das Nações Unidas (ONU) nesta segunda-feira.

Civis vistos em abrigo após confronto na área rual de Manbij, Síria. 31/05/2016 REUTERS/Rodi Said

Combatentes sírios cercaram Manbij por três lados enquanto levam adiante sua operação contra os jihadistas perto da fronteira com a Turquia, disse um porta-voz dos combatentes nesta segunda-feira.

O relatório do Escritório de Coordenação de Assuntos Humanitários da ONU (Ocha) disse ser possível que as pessoas “se deparem com impedimentos” para sair de áreas controladas pelo Estado Islâmico e que têm uma necessidade crítica de abrigo, água potável, alimentos e assistência de saúde.

Em sua maioria, os civis estão seguindo para o norte, rumo a cidades próximas e a Jarablous, passagem na fronteira com a Turquia, ou para o oeste, na direção de áreas comandadas por outros grupos rebeldes. Outros, em menor quantidade, foram para vilarejos do sul ao longo do rio Eufrates.

O Ocha informou que as pessoas recém-expulsas pelos combates podem tentar seguir rumo a Al-Bab ou Azaz, duas cidades a oeste de Manbij, ou para a planície de Maskanah, no sul, próxima do lago Assad.

Ofensivas cuja meta é repelir insurgentes do Estado Islâmico dos arredores de Tabqa também podem deixar desabrigados, disse o Ocha. Tabqa, que fica próxima da represa do Eufrates, na outra extremidade do lago Assad em relação a Manbij, é o alvo aparente de uma ofensiva de forças sírias pró-governo que têm apoio da Rússia.

O relatório do Ocha não informou cifras ou detalhes de deslocamentos em potencial causados por essa batalha.

Tanto os ataques auxiliados pelos EUA quanto pela Rússia parecem ameaçar Raqqa, bastião do Estado Islâmico e capital do grupo na Síria, e ambos começaram na semana passada, pouco depois de o Exército iraquiano tentar tomar Falluja, enclave dos militantes radicais no Iraque.

O porta-voz das forças apoiadas por Washington disse nesta segunda-feira que os militantes estão fugindo de Manbij com suas famílias. As Forças Democráticas da Síria realizaram um ataque que as deixou a 6 quilômetros da cidade e matou mais de 150 jihadistas.

Por Tom Miles

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below