16 de Julho de 2016 / às 18:21 / em um ano

Após tentativa de golpe, Erdogan diz que Turquia pode discutir pena de morte

ISTAMBUL (Reuters) - O presidente turco, Tayyip Erdogan, disse neste sábado diante de uma multidão que pedia pela pena de morte –  após a tentativa de golpe por uma facção do serviço militar que matou pelo menos 161 pessoas durante a noite –, que tais exigências podem ser discutidas no parlamento.

Aparentemente relaxado e sorridente, ocasionalmente cumprimentando os partidários em Istambul, Erdogan disse que a tentativa de golpe tinha sido realizada por uma minoria no exército.

“O exército é nosso, não aquela estrutura paralela. Eu sou o principal comandante”, disse ele, referindo-se à rede de seu arqui-inimigo Fethullah Gulen, um clérigo que vive nos EUA e que ele acusa de fomentar a tentativa de golpe, além de tentativas anteriores para expulsá-lo.

Reportagem de Asli Kandemir, Humeyra Pamuk e Ayla Jean Yackley

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below