18 de Julho de 2016 / às 11:57 / em um ano

Autoridades dos EUA buscam mais informações sobre ex-fuzileiro que matou 3 policiais

BATON ROUGE, Louisiana (Reuters) - As autoridades norte-americanas tentavam descobrir nesta segunda-feira mais informações sobre um ex-fuzileiro naval condecorado que matou três policiais na cidade de Baton Rouge duas semanas depois de a polícia local ter matado a tiros um homem negro, desencadeando protestos nacionais, incluindo um que foi interrompido pelo assassinato de cinco policiais em Dallas.

Coronel Mike Edmonson, superintendente da Polícia Estadual da Louisiana, durante entrevista coletiva em Baton Rouge. 17/07/2016 REUTERS/Joe Penney

O suspeito de Baton Rouge, vestido de preto e armado com um fuzil, foi morto a tiros na manhã de domingo em uma troca de tiros com a polícia, que convergiu à cena de um confronto que o prefeito da localidade, Kip Holden, disse ter começado como um ataque “parecido a uma emboscada”.

Dois agentes do Departamento de Polícia de Baton Rouge e um assistente de xerife foram mortos, e outro assistente está gravemente ferido. Outro policial e mais um assistente sofreram ferimentos menos sérios.

O coronel Mike Edmonson, superintendente da Polícia Estadual da Louisiana, onde fica Baton Rouge, disse em uma coletiva de imprensa que se acredita que o atirador agiu sozinho.

Não ficou claro de imediato se existe uma ligação entre a matança e a revolta despertada pelas mortes de dois negros, causadas por policiais em circunstâncias questionáveis, neste mês --Alton Sterling, de 37 anos, em Baton Rouge, no dia 5 de julho, e Philando Castile, de 32 anos, perto de St. Paul, em Minnesota, em 6 de julho.

A polícia não identificou o suspeito, mas uma autoridade do governo norte-americano disse à Reuters se tratar de Gavin Long, de Kansas City, no Missouri. Long, um negro, tinha 29 anos.

De acordo com o Pentágono, Long serviu nos fuzileiros navais de 2005 a 2010, chegando ao posto de sargento. Especialista em redes de dados, ele foi enviado ao Iraque, onde ficou de junho de 2008 a janeiro de 2009, recebendo várias medalhas e comendas.

As autoridades não quiseram especular a respeito do motivo do ataque em Baton Rouge, uma cidade com um longo histórico de desconfiança entre afro-americanos e agentes da lei, que foi novamente atiçada pela morte de Sterling.

Publicações nas redes sociais ligadas a um indivíduo chamado Gavin Long e a um endereço de Kansas City que foi cercado pela polícia incluíam um vídeo postado no YouTube em 10 de julho no qual ele se dizia farto dos maus tratos de negros e insinuando que só a violência e a pressão financeira trariam mudanças. Ele também afirma estar falando de Dallas, onde havia comparecido a uma manifestação.

Em outro vídeo, ele deu a entender que, caso “algo acontecesse” com ele, queria que os espectadores soubessem que ele “não era afiliado” a nenhum movimento ou grupo em particular.

“Sou afiliado ao espírito de justiça, nem mais, nem menos”, disse. “Penso com minha própria cabeça, tomo minhas próprias decisões”.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below