19 de Julho de 2016 / às 18:52 / em um ano

COI adia decisão sobre banir Rússia da Olimpíada do Rio

BERN (Reuters) - A participação da Rússia na Olimpíada do Rio de Janeiro permaneceu em dúvida nesta terça-feira, depois que o Comitê Olímpico Internacional (COI) disse que vai “explorar opções legais” a respeito da decisão sobre proibir ou não o país de disputar os Jogos no mês que vem.

Técnica prepara amostra de urina para exame antidoping em laboratório de Lausanne, na Suíça. 15/07/2016 REUTERS/Valentin Flauraud

Em uma reunião de emergência do conselho executivo do COI na Suíça, um dia após um relatório independente detalhar um programa de doping sistemático e controlado pelo Estado na Rússia, os integrantes do COI evitaram uma proibição imediata, mas divulgaram uma série de medidas relacionadas com o relatório.

“No que diz respeito à participação de atletas russos nos Jogos Olímpicos Rio 2016, o COI vai avaliar cuidadosamente o relatório”, informou um comunicado da entidade. “Vai explorar as opções legais sobre uma proibição coletiva de todos os atletas russos para os Jogos de 2016 em relação ao direito à justiça individual.”

O comunicado disse ainda que o comitê teria que levar em consideração a decisão da Corte Arbitral do Esporte (CAS), a ser divulgada na quinta-feira, relativa às regras da Iaaf, assim como o Código Mundial Antidoping e a Carta Olímpica.

A CAS vai se pronunciar sobre a disputa entre a Rússia, 68 de seus atletas e o órgão que comanda o atletismo mundial sobre a participação do atletismo russo na Rio 2016, após a Iaaf ter decidido pela proibição da modalidade.

O relatório independente, encomendado pela Agência Mundial Antidoping (Wada) e compilado pelo advogado canadense Richard McLaren, revelou na segunda-feira um amplo programa de doping patrocinado pelo Estado russo, particularmente nos Jogos Olímpicos de Inverno de 2014 na cidade russa de Sochi.

Testes positivos foram encobertos e amostras de urina “sujas” trocadas por “limpas” com métodos desenvolvidos pelo serviço de inteligência russo. O vice-ministro dos Esportes, Yuri Nagornykh, decidia quais atletas seriam protegidos.

O COI disse nesta terça-feira que iniciou uma ação disciplinar contra autoridades mencionadas no relatório e que qualquer pessoa implicada não teria permissão para participar da Rio 2016.

Reportagem adicional de Mitch Phillips

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below