14 de Agosto de 2016 / às 21:37 / um ano atrás

Arthur Nory faz série mais difícil e inédita para ganhar bronze na ginástica no Rio

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Classificado em último lugar para a final do solo nos Jogos do Rio, o ginasta brasileiro Arthur Nory arriscou e decidiu colocar na série uma acrobacia mais difícil para tentar um pódio neste domingo, e se deu bem.

Arthur Nory comemora apresentação na final do solo. 14/08/2016 REUTERS/Mike Blake

Com uma apresentação sem falhas, ele recebeu a nota 15.433 e ficou com o bronze, atrás do campeão Max Whitlock (15.633), da Grã-Bretanha, e do companheiro de equipe Diego Hypólito (15.533).

“A gente pensou em dificultar a série. Ele (técnico Cristiano Albino) confiou em mim, eu confiei nele, e isso é o principal”, disse Nory após a conquista.

“Eu não tinha feito essa série, é a primeira vez que eu faço. Os elementos eu já havia treinado bastante. A segunda passada era o elemento que eu coloquei e de valor F, um dos mais altos do código e que chama a atenção, ele é bem difícil”, completou.

Segundo o treinador, a decisão de dificultar a série foi fundamental para a conquista do bronze. “O único jeito de beliscar uma medalha era aumentando a nota de partida, e foi o que a gente fez. Discutimos, treinamos... e ele fez o papel dele, a série foi boa e está aí o resultado”, disse.

O ginasta de 22 anos se mostrou surpreso com a medalha, e disse que sua expectativa maior era disputar uma final olímpica nas barras, o que não aconteceu.

“Eu queria muito uma final de barra, treinei para isso. E veio o solo”, afirmou, destacando a importância da preparação psicológica. “Olimpíada é cabeça que conta, porque treinado você já está, então é ficar focado e fazer o seu trabalho.”

O paulista Nory fazia judô quando criança e decidiu pela ginástica aos 11 anos, quando Daiane dos Santos começou a se destacar no esporte.

Para ele, o pódio com dois brasileiros no Rio vai proporcionar um desenvolvimento maior da ginástica no Brasil, que soma agora três medalhas olímpicas -- a única até então era o ouro de Arthur Zanetti nas argolas em Londres 2012.

“Acredito que a ginástica vai crescer bastante com isso. Todo mundo vai passar a acreditar que dá para chegar lá. Agora é colher os frutos desse trabalho e melhorar para 2020”, afirmou.

A comemoração de Nory no Rio acontece depois da participação dele em um episódio polêmico na equipe masculina de ginástica, em que foi gravado um vídeo com ofensas racistas ao integrante da equipe Ângelo Assumpção.

Nory e seu treinador preferem deixar a polêmica no passado.

“A gente não tem que ficar voltando a coisas ruins, as pessoas erram. Foi comprovado judicialmente que foi uma brincadeira entre amigos”, disse Albino.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below