29 de Agosto de 2016 / às 15:47 / um ano atrás

Dilma diz que não há hoje golpe de Estado, mas se for condenada o golpe é "irreversível"

BRASÍLIA (Reuters) - A presidente afastada Dilma Rousseff destacou nesta segunda-feira que não está dizendo que há hoje um golpe de Estado, já que o processo de impeachment ainda está em curso no Senado, mas que um golpe “irreversível” se consumará caso os parlamentares a condenem.

A presidente afastada Dilma Rousseff é fotografada entre Ricardo Lewandowski (esquerda), presidente do Supremo Tribunal Federal, e Renan Calheiros (direita), presidente do Senado,durante a sessão final do processo de impeachment em Brasília, Brasil 29/08/2016 REUTERS/Ueslei Marcelino

“Quando você não tem um presidente culpado de um crime de responsabilidade, o que tem é um golpe parlamentar”, disse Dilma na sessão de julgamento do impeachment.

Respondendo ao senador Aloysio Nunes (PSDB-SP), a petista disse também que não teria por que recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o impeachment uma vez que o mesmo ainda não foi votado pelo Senado, seguindo o que prevê a Constituição.

Por Marcela Ayres e Maria Carolina Marcello

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below