May 18, 2017 / 12:45 PM / 9 months ago

DIs saltam após denúncias envolvendo Temer; mercado vê corte menor da Selic

SÃO PAULO (Reuters) - As taxas dos contratos futuros de juros iniciaram a quinta-feira em forte alta, repercutindo a aversão ao risco depois que denúncias atingiram o presidente Michel Temer e com os investidores já apostando que o Banco Central vai desacelerar o ritmo de cortes da Selic agora.

A curva de juros precificava 92 por cento de chances de redução de 0,75 ponto percentual da Selic no encontro do Comitê de Política Monetária (Copom) no final do mês e o restante era de apostas de 1 ponto. Na véspera, a maioria das apostas indicava corte de 1,25 ponto agora.

A Selic está hoje em 11,25 por cento ao ano, após dois cortes de 0,25 ponto cada, dois de 0,75 ponto e um de 1 ponto.

Na véspera, notícias informaram que o empresário Joesley Batista, do frigorífico JBS, gravou o presidente Temer dando aval à compra do silêncio do ex-deputado federal Eduardo Cunha. O temor era de que as reformas, em especial da Previdência, sejam deixadas de lado neste momento de frote turbulência política.

A maioria das taxas dos DIs já operava no limite de alta permitido para a sessão, segundo operadores, o que significa que, a partir de agora, só podem sair negócios que não ultrapassem esses limites.

Às 9:31, as taxas dos contratos com vencimento para janeiro de 2021 e janeiro de 2023 saltavam 1,35 ponto percentual.

Por Claudia Violante

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below