29 de Agosto de 2017 / às 12:39 / 4 meses atrás

Equador prende pescadores chineses encontrados com 6 mil tubarões em Galápagos

QUITO (Reuters) - Um juiz equatoriano decretou a prisão de 20 pescadores chineses por até quatro anos por pesca ilegal nas ilhas Galápagos, onde foram pegos com 6.600 tubarões.

Membro de tripulação chinesa detido por pesca ilegal nas ilhas Galápagos, Equador 25/08/2017 REUTERS/Daniel Tapia

O navio de bandeira chinesa Fu Yuan Yu Leng 999 foi apreendido em meados de agosto com cerca de 300 toneladas de espécies quase extintas ou ameaçadas de extinção, incluindo tubarões-martelo.

A tripulação recebeu penas de prisão entre um e quatro anos, informou o juiz na noite de domingo. Os pescadores também foram multados em um total de 5,9 milhões de dólares.

O Ministério das Relações Exteriores do Equador afirmou ter enviado um protesto formal à China pela presença de navios próximos a Galápagos, ilha que inspirou a teoria da evolução do naturalista britânico Charles Darwin.

O ministério já havia dito neste mês que o embaixador da China em Quito, Wang Yulin, afirmou que seu país queria tomar todas as medidas necessárias para “colocar um fim a essas práticas ilícitas”.

As ilhas Galápagos estão a cerca de mil quilômetros a oeste da costa do Pacífico do Equador.

O Ministério do Meio-Ambiente afirmou que a embarcação chinesa estava pescando na reserva marinha de Galápagos.

O barco será confiscado pelo Equador e os animais mortos serão jogados ao mar, disse o governo na segunda-feira.

Barbatana de tubarão é um símbolo de status para muitos chineses, apreciado como alimento e consumido em uma sopa. Restaurantes em toda a China servem o prato em banquetes tradicionais, apesar de uma repressão pelo presidente chinês, Xi Jinping, à extravagância e uma proibição de servir a iguaria em funções oficiais.

Falando em Pequim, a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Hua Chunying, afirmou nesta terça-feira que a China se opõe a qualquer forma de pesca ilegal, e estava prestando muita atenção ao caso.

No entanto, ela afirmou não haver evidências de que o navio estivesse pescando em águas equatorianas, mas que o navio havia passado pela área protegida de Galápagos sem permissão, uma vez que não entendia as regras equatorianas.

A China espera que o Equador possa lidar com o caso de maneira justa e proteger os direitos legítimos dos chineses, acrescentou Hua.

Tartarugas centenárias e atobás de patas azuis habitam as Ilhas Galápagos junto com cerca de 18 mil habitantes que ganham a vida através da pesca e da indústria do turismo. 

Reportagem de Alexandra Valencia; Reportagem adicional de Ben Blanchard, em Pequim

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below