September 22, 2017 / 6:20 PM / 7 months ago

Forças Armadas reforçam segurança na favela da Rocinha, no Rio, após tiroteios

RIO DE JANEIRO (Reuters) - As Forças Armadas vão iniciar nesta sexta-feira um cerco à favela da Rocinha para tentar acabar com a violência que se instalou na comunidade da zona sul do Rio de Janeiro desde o fim de semana.

Polícia durante operação na favela da Rocinha, no Rio de Janeiro 22/09/2017 REUTERS/Ricardo Moraes

O pedido de ajuda às tropas federais foi feito pelo governo do Estado nesta manhã, quando ocorreu um novo e intenso confronto na comunidade localizada ao lado de algumas das áreas mais valorizadas da cidade.

Inicialmente será enviado um efetivo de 950 homens da polícia do Exército para impor o cerco, e a mobilização dos militares pode ser ampliada em caso de nova solicitação das autoridades de segurança do Estado, de acordo com o ministro da Defesa, Raul Jungmann.

“Nós estamos trabalhando harmonicamente e vamos continuar atendendo às demandas que sejam feitas pela segurança do Rio de Janeiro”, disse Jungmann a repórteres em Brasília.

“Continuamos à disposição do governo do Rio de Janeiro e das forças de segurança, e particularmente da população do Rio de Janeiro, que quer paz e quer segurança.”

O clima é tenso na favela —considerada uma das maiores da América Latina e onde vivem cerca de 100 mil pessoas— desde o fim de semana, quando acredita-se que mais de 60 criminosos invadiram a comunidade para tentar dominar o tráfico de drogas na região.

Houve ao menos quatro mortes e várias pessoas feridas desde então. O comércio e o serviço de transportes ficaram prejudicados pelo clima de tensão, além de escolas e creches sem funcionar ou operando parcialmente.

A polícia tem realizado operações na Rocinha desde o fim de semana, e na manhã desta sexta-feira houve registro de tiroteios tanto na comunidade como em outras favelas da cidade.

“Estava indo para o trabalho e de repente os policiais fecharam o túnel da Rocinha e começaram a circular de fuzil. Foi um pânico porque estava na boca da saída do túnel vendo a correria e ouvindo as rajadas de tiro. Estou tremendo até agora”, disse uma testemunha, que preferiu não ser identificada.

De acordo com o ministro da Defesa, há um efetivo de até 10 mil homens das Forças Armadas no Rio de Janeiro que poderia ser mobilizado. Além do reforço no número de tropas, o governo federal irá anunciar nos próximos dias “um amplo pacote” na área social para compor a ação de segurança no Rio de Janeiro, segundo Jungmann.

O governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) afirmou que a ação dos criminosos nesta sexta seria uma reação do comando do tráfico de drogas à ação da polícia.

“Nós não vamos recuar na Rocinha. Ontem descobrimos armamentos e drogas e estamos com indícios de traficantes na Rocinha. Tenho certeza que o que está ocorrendo é uma reação do tráfico”, disse a jornalistas o governador

O clima de guerra na cidade ocorre em meio ao Rock in Rio, evento que atrai muitos turistas e conta com a presença de diversas bandas do Brasil e do exterior.

Reportagem de Rodrigo Viga Gaier e Pedro Fonseca

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below