25 de Setembro de 2017 / às 22:17 / em 3 meses

Maia diz que não cabe fatiamento de denúncia contra Temer e ministros

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse nesta segunda-feira que não cabe o fatiamento da denúncia contra o presidente Michel Temer e ministros, apresentada pela Procuradoria-Geral da República por obstrução de Justiça e organização criminosa, como vêm aventando alguns deputados.

Presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, chega à Casa 11/09/2017 REUTERS/Adriano Machado

“Nós entendemos que pela jurisprudência, pelo precedente que existe no Supremo... e pela forma como o Supremo encaminhou a denúncia, uma denúncia única, que não cabe fatiamento da denúncia”, disse Maia a jornalistas, após se reunir com a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia.

O deputado ressaltou que não seria possível desmembrar a acusação de organização criminosa, que envolve os ministro Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidência).

Questionado sobre declaração do presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), Rodrigo Pacheco (PMDB-MG), de que poderia haver uma consulta ao STF sobre o fatiamento da denúncia, Maia disse entender que não caberia simplesmente uma consulta no caso, mas seria preciso o uso de um instrumento como um mandado de segurança. A CCJ é responsável na Câmara por elaborar parecer sobre a denúncia que será votado pelo plenário da Casa.

“Eu espero que a gente possa avançar”, disse Maia, argumentando que a denúncia contra o presidente requer uma urgência e precisa ser resolvida logo para que a Câmara possa tratar de outros temas.

Mas ao ser informado que haveria no Planalto uma estimativa de que a denúncia possa ser votada até 22 de outubro, Maia disse que cabe à Câmara marcar a data de votação e ao Planalto a defesa do presidente.

Para o deputado não é possível fazer estimativas porque os prazos da tramitação são contados em sessões no plenário e para isso é preciso de quórum, o que não ocorreu na sexta-feira passada e nesta segunda-feira.

Maia disse que a leitura da denúncia no plenário da Câmara vai ocorrer na terça-feira, quando haverá quórum “de qualquer jeito”, dando início à tramitação da denúncia.

Reportagem de Mateus Maia

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below