September 4, 2018 / 5:22 PM / 2 months ago

Marina diz que denunciará compra e venda de votos no Congresso se eleita

SÃO PAULO (Reuters) - A candidata da Rede à Presidência da República, Marina Silva, afirmou que, se eleita, denunciará parlamentares que quiserem vender votos dentro do Congresso e que alianças não podem ser feitas na base do “toma lá, dá cá”.

Vista aérea do Museu Nacional, após ser destruído por um grande incêndio 03/09/2018 REUTERS/Ricardo Moraes

“Se alguém vier me dizer que só vai votar se eu tiver que pagar pelo voto dele, eu vou denunciar”, afirmou a candidata durante sabatina promovida por UOL, Folha de S.Paulo e SBT nesta terça-feira.

Ao ser questionada sobre como pretende governar sem ceder recursos em troca da aprovação de medidas, Marina disse que a pergunta leva a uma armadilha: “Ou você se rende a esses partidos, ou você se rende ao centrão —e olha que estou usando a palavra rende porque ela rima com outra coisa—, ou você não vai conseguir governar”, disse, acrescentando que foram essas práticas que levaram o Brasil “ao fundo do poço”.

A sua intenção, repetiu, é governar com os melhores nomes e, para isso, os partidos precisam se reinventar, explicou.

“Chegou a hora de (os partidos) tirarem do banco de reserva os seus melhores quadros e colocá-los em cena para ajudar a melhorar o país. É uma chance que eles vão ter”, afirmou a candidata, acrescentando que não vê esse discurso sendo adotado por seus adversários.

A ex-senadora relembrou que, durante o período como ministra do Meio Ambiente no governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, conseguiu aprovar “todas as leis importantes para a sua pasta no Congresso Nacional” dialogando com parlamentares de todos os partidos, às vezes sem contar com o apoio da base governista.

PREVIDÊNCIA

Marina argumentou ainda que falta transparência à reforma da Previdência submetida ao Congresso pelo presidente Michel Temer e sugeriu que o governo tenha “economizado” nos “números necessários” para debater o tema.

“O governo federal mandou um projeto de reforma da Previdência economizando bastante nos números. A sociedade brasileira não tem os números que deveria ter”, disse a candidata da Rede.

Ela, por sua vez, prometeu, enviará um projeto “calçado com todos os números necessários para que deputados, senadores e cidadãos saibam o que está acontecendo” e que seja resultado de muito debate, o que faltou à atual gestão, afirmou.

“Quem não quer resolver é quem joga um pacote em cima da sociedade”, argumentou.

INDÚSTRIA

Ao ser questionada sobre a queda na produção industrial do Brasil em julho, divulgada nesta terça-feira pelo IBGE, Marina defendeu o fim do protecionismo para retomar o crescimento do setor e adquirir competitividade, prometendo reduzir tarifas que possam prejudicar as exportações brasileiras. [nL2N1VQ0DP]

“O governo ajudará nessa transição, nós iremos diminuir tarifas, que muitas vezes são ruins para as exportações brasileiras, mais acesso àqueles equipamentos necessários para modernização das indústrias brasileiras, mas sem o velho protecionismo que nos levou para essa situação que estamos hoje”, afirmou a candidata a jornalistas após a sabatina.

Reportagem de Laís Martins

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below