September 9, 2018 / 4:42 PM / 16 days ago

Chefe de direitos humanos da ONU pede que Egito revogue sentenças de morte em massa

GENEBRA (Reuters) - A chefe de direitos humanos da ONU, Michelle Bachelet, pediu neste domingo ao tribunal de apelações do Egito que revogue penas de morte em massa proferidas por um tribunal depois do que ela disse ser um “julgamento injusto”.

A ex-presidente chilena, que assumiu o cargo de Alta Comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos na semana passada, criticou uma lei que concede imunidade a altos oficiais militares em relação a futuros processos.

Um tribunal egípcio proferiu no sábado sentenças de morte para 75 pessoas, incluindo os proeminentes líderes islâmicos Essam al-Erian e Mohamed Beltagi, devido à uma manifestação de 2013 que terminou com forças de segurança matando centenas de manifestantes.

Se cumpridas, as sentenças “representariam um erro grosseiro e irreversível da justiça”, disse Bachelet em um comunicado.

Os réus não tiveram o direito de ter advogados individuais e apresentar provas, enquanto “a acusação não forneceu provas suficientes para provar a culpa individual”, disse ela.

“Espero que o Tribunal de Apelações do Egito analise esse veredicto e assegure que os padrões internacionais de justiça sejam respeitados, colocando-o de lado”, disse Bachelet.

Por Stephanie Nebehay

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below