October 16, 2018 / 4:31 PM / in a month

Vale aguardará maiores preços do níquel antes de retomar investimentos, diz CEO

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Vale, líder na produção global de níquel, vai esperar uma recuperação nos preços do metal para voltar a investir no segmento no qual a companhia tem registrado queda “consciente” na produção, disse o presidente da mineradora nesta terça-feira.

Presidente da Vale, Fabio Schvartsman 22/12/2017 REUTERS/Paulo Whitaker

Fabio Schvartsman afirmou, durante evento no Rio de Janeiro, que a empresa só retomará investimentos quando os preços do níquel atingirem 20 mil dólares a tonelada, um nível muito acima do patamar atual, que está inferior a 13 mil dólares por tonelada .

O executivo reiterou que a empresa permanece aguardando uma melhorar desse mercado pautada no potencial de uma futura demanda para a produção de baterias para carros elétricos.

Schvartsman não fez previsões sobre quando acredita que aquele patamar de preços poderá ser alcançado.

Na véspera, a Vale reduziu novamente a previsão para a produção de níquel neste ano, após o terceiro trimestre ter apresentado um volume inferior ao previsto anteriormente.

“Nós tomamos a decisão consciente de reduzir nossa capacidade por enquanto, aguardando o momento em que eventualmente os preços reajam e faça mais sentido utilizar essas reservas. Isso é uma estratégia consciente que está sendo praticada há um ano e meio”, afirmou.

A commodity é uma das principais apostas do executivo, desde que assumiu a empresa, maior produtora global de minério de ferro e níquel do mundo, em maio de 2017.

Em declarações passadas, o CEO também previu que futuramente os metais básicos —o níquel, em grande parte— ganharão relevância nos resultados da empresa, como parte de uma estratégia de diversificação. O executivo destacou que a Vale tem na Indonésia as maiores reservas globais não utilizadas de níquel.

“Se alguém no mundo pode reagir e entregar produto se houver essa explosão de demanda de níquel é a Vale”, afirmou.

Ele reiterou ainda que a Vale busca atualmente empenhar o seu caixa na política de dividendos, para remuneração de acionistas, e planeja recomprar ações de tempos em tempos.

Para o executivo, as ações da empresa não refletem atualmente o valor da companhia.

MINÉRIO DE FERRO

Já do lado do minério de ferro, Schvartsman descreveu o atual cenário como excepcional, pois considera que a empresa está em uma posição mais favorável do que suas grandes concorrentes da Austrália, cujas minas são mais antigas e já começam a apresentar declínio.

Enquanto a produção e as vendas de minério de ferro da Vale foram recordes no terceiro trimestre, a concorrente Rio Tinto registrou recuo de 5 por cento nos embarques no período, prejudicada por manutenção planejada e pausas por questões de segurança.

O presidente da Vale ainda destacou que a demanda da China por minérios de melhor qualidade e menos poluentes, devido a luta do gigante asiático contra poluição, tem beneficiado a companhia, que ao aumentar a produção de sua mina S11D, inaugurada no fim de 2016, tem abocanhado maior parte do mercado, com prêmios maiores.

Segundo o executivo, o prêmio do minério com mais qualidade sobre o de menor qualidade chega até 56 dólares por tonelada.

Nesse cenário, Schvartsman destacou que a Vale está bem posicionada para atender seu principal cliente, com uma capacidade de “blendagem” de 120 milhões de toneladas de minério de ferro.

Sobre os preços do minério de ferro, o presidente da Vale acredita que deverão se manter no atual patamar para o próximo ano.

Por Marta Nogueira

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below