June 1, 2019 / 4:16 PM / 5 months ago

EUA não irão fazer rodeios sobre ações da China com a estabilidade da Ásia ameaçada, diz secretário de Defesa

Cingapura (Reuters) - Os Estados Unidos não irão mais fazer rodeios em relação ao comportamento chinês na Ásia, com a estabilidade da região ameaçada com questões que vão do Mar da China Meridional à Taiwan, disse neste sábado o secretário da Defesa dos EUA em exercício, Patrick Shanahan.

Shanahan não nomeou diretamente a China ao fazer acusações de “atores” desestabilizando a região, mas afirmou que os Estados Unidos não ignorariam o comportamento chinês, na última troca de acusações amargas entre as duas maiores economias mundiais. Ele acrescentou, no entanto, estar ávido por promover uma relação militar com Pequim.

“Talvez a maior ameaça a longo prazo aos interesses vitais dos estados dessa região venha de atores que buscam minar, ao invés de sustentar, a ordem internacional baseada em regras”, disse Shanahan no Diálogo anual Shangrila em Cingapura, maior encontro sobre segurança da Ásia.

“Caso a tendência nesses comportamentos continue, as características artificiais nos bens comuns globais podem se tornar pedágios, e a soberania pode se tornar a competência dos poderosos.”, continuou.

O primeiro grande discurso de Shanahan desde que tomou posse como Secretário de Defesa em exercício, em janeiro, ocorreu enquanto Estados Unidos e China continuam emperrados em uma guerra comercial cada vez maior, e em desacordo em uma série de questões sobre segurança na Ásia.

Sua referência a características artificiais foi um ataque às ilhas construídas pela China no disputado Mar da China Meridional, uma via estratégica reivindicada quase inteiramente por Pequim.

“Não vamos ignorar o comportamento chinês e eu acho que no passado as pessoas agiram com excesso de rodeios em relação a isso”, disse Shanahan mais tarde em resposta à uma pergunta.

Uma autoridade militar sênior da China respondeu ao comentário de Shanahan dizendo que as ações dos Estados Unidos sobre Taiwan e o Mar da China Meridional dificilmente favoreceriam a manutenção da estabilidade na região.

Shanahan afirmou que era do interesse de Pequim ter uma relação construtiva com os Estados Unidos, mas acrescentou: “O comportamento que corrói a soberania de outras nações e semeia a desconfiança sobre as intenções da China deve acabar.”

“Até que isso aconteça, nos mantemos contra uma visão míope, estreita e provinciana de futuro, e nos colocamos a favor da ordem livre e aberta que nos beneficiou a todos – incluindo a China.”

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below