July 24, 2019 / 3:19 PM / 5 months ago

Novo premiê Johnson diz que Reino Unido deixará UE em 31 de outubro de qualquer modo

LONDRES (Reuters) - Boris Johnson tomou posse como primeiro-ministro do Reino Unido nesta quarta-feira, comprometendo-se a implementar o resultado do referendo de 2016 sobre o Brexit e a liderar o Reino Unido na saída da União Europeia em 31 de outubro “sem se nem mas.”

Novo primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, discursa do lado de fora da residência oficial 24/07/2019 REUTERS/Toby Melville

Johnson chega a Downing Street em uma das conjunturas mais tumultuadas da história britânica pós-Segunda Guerra Mundial, já que seu país está dividido quanto à saída da UE e enfraquecido pela crise política de três anos que o domina desde o referendo.

Um dos defensores mais proeminentes do Brexit, Johnson prometeu tirar o Reino Unido do bloco até 31 de outubro – “tudo ou nada” – e injetar otimismo e força renovadas na ruptura que, argumenta, trará uma série de oportunidades.

Mas sua estratégia para o Brexit coloca o Reino Unido em confronto com a UE e desencadeará uma possível crise constitucional, ou uma eleição, em casa.

“Finalizaremos o Brexit em 31 de outubro e aproveitaremos todas as oportunidades que ele nos trará com um novo espírito de possibilidades”, disse Johnson, de 55 anos, na terça-feira depois de ser eleito por membros do Partido Conservador.

O Reino Unido sairá da União Europeia em 31 de outubro “sem se nem mas”, afirmou o novo primeiro-ministro britânico.

Falando em Downing Street, Johnson disse que vai fazer “um novo acordo, um acordo melhor” com a União Europeia. “Vamos cumprir as promessas repetidas do Parlamento para o povo e sair da UE em 31 de outubro, sem se nem mas”, disse.

Para efetivar o Brexit, Johnson indicará Dominic Cummings, diretor da campanha pró-saída no referendo, como conselheiro sênior de Downing Street.

Os acontecimentos desta quarta-feira combinaram uma coreografia política britânica antiquada com o pragmatismo político de se montar um novo governo – que provavelmente contará com muitos apoiadores do Brexit.

A premiê Theresa May deixou Downing Street após um governo de três anos ofuscado pelas crises do Brexit. Ela apresentou sua renúncia formalmente à rainha Elizabeth.

May parecia estar contendo as lágrimas ao ser aplaudida na Câmara dos Comuns. Seu ministro das Finanças, Philip Hammond, renunciou.

Johnson já teve um possível aperitivo do tumulto que enfrentará quando, a caminho da audiência com a monarca, manifestantes do Greenpeace tentaram — mas falharam — bloquear a passagem de seu carro.

Ele deve entrar em Downing Street em breve e fazer um discurso antes de indicar membros cruciais do governo – nomes que darão uma ideia de como ele pretende lidar com o Brexit, a decisão mais significativa do Reino Unido em décadas.

“Boris montará um gabinete que exibirá todos os talentos do partido que refletem verdadeiramente o Reino Unido moderno”, disse uma fonte próxima de Johnson.

Reportagem de Alistair Smout, William James, Kylie MacLellan e Guy Faulconbridge

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below