April 10, 2020 / 9:12 PM / 4 months ago

G20 concorda em necessidade de estabilidade dos preços do petróleo, mas há trabalho a fazer, diz ministro canadense

Texas, EUA 21/08/2019. REUTERS/Jessica Lutz/Foto de arquivo

OTTAWA (Reuters) - Ministros de Energia do G20 concordaram nesta sexta-feira sobre a necessidade de estabilidade dos preços do petróleo e de um mercado que funcione bem, mas não definiram os detalhes de como isso será alcançado, afirmou o ministro de Recursos Naturais do Canadá, Seamus O Regan.

A reunião do G20 “era para encontrar os mecanismos para alcançar a estabilidade de preços”, disse O’Regan a repórteres em uma teleconferência, logo após o término da reunião.

Todos os países concordaram que suas economias precisavam de um “mercado de petróleo estável e que funcionasse bem” e concordaram em criar um grupo focal para coordenar as respostas das 20 maiores economias daqui para a frente.

“Ainda não estamos onde precisamos”, acrescentou, dizendo que os “números” de cortes de petróleo não foram discutidos.

O ministro de Energia da Rússia, Alexander Novak, disse nesta sexta-feira que espera que os cortes na produção de petróleo por países fora da Organização dos Países Exportadores de Petróleo e seus aliados (Opep+) atinjam 5 milhões de barris por dia (bpd).

Novak disse ao canal de televisão estatal russo Rossiya-24 que o Canadá, que não é membro da Opep+, estava pronto para reduzir a produção de petróleo em cerca de 1 milhão de bpd. O Canadá é o quarto maior produtor mundial de petróleo, extraindo cerca de 4,9 milhões de barris em fevereiro.

O primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau, disse que os esforços para aliviar o excesso global de petróleo devem ser feitos de maneira “combinada”, sem indicar se o país limitará sua própria produção.

“Reconhecemos que este é um desafio global para muitos, muitos países diferentes, e ter uma abordagem combinada é extremamente importante”, disse Trudeau sobre os esforços para estabilizar os preços do petróleo, falando em uma entrevista coletiva diária nesta sexta-feira.

A pandemia de coronavírus reduziu a demanda de petróleo à medida que os países fecharam grande parte de suas economias, e a Opep também inundou o mundo com petróleo adicional em uma disputa com a Rússia.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below