for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Prostitutas de Hamburgo exigem reabertura dos bordéis da Alemanha

HAMBURGO (Reuters) - Prostitutas fizeram um protesto no distrito da luz vermelha de Hamburgo no sábado, exigindo que os bordéis da Alemanha sejam reabertos após meses fechados para conter a disseminação do coronavírus.

Com lojas, restaurantes e bares reabertos na Alemanha, onde a prostituição é legalizada, trabalhadores do sexo dizem que estão sendo excluídos e privados de seu sustento apesar de não representarem um grande risco de saúde.

“A profissão mais antiga do mundo precisa de sua ajuda”, lia-se em um cartaz erguido por uma mulher na janela de um bordel em Herbertstrasse, que foi inundado por luz vermelha após estar às escuras desde março.

Alguns manifestantes usavam máscaras teatrais enquanto um tocava músicas folclóricas em um violino na rua bem na esquina com a rua Reeperbahn, famosa por sua vida noturna.

A Associação de Trabalhadores do Sexo, que organizou o protesto, diz que manter o fechamento das casas autorizadas está obrigando os trabalhadores a ir para as ruas, o que é ilegal e uma forma muito mais perigosa e pouco higiênica de trabalhar.

Por Fabian Bimmer em Hamburgo

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up