for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Pesquisa sugere que coronavírus contaminou seis vezes mais na Itália que dados oficiais mostram

Paciente infectato com novo coronavírus é tratado em hospital de Bérgamo durante a fase aguda da pandemia na Itália 12/03/2020 REUTERS/Flavio Lo Scalzo

MILÃO (Reuters) - Quase 1,5 milhão de pessoas na Itália, ou 2,5% da população, desenvolveu anticorpos contra o coronavírus, um dado seis vezes maior que os números oficiais reportados, mostrou um estudo da agência de estatísticas Istat nesta segunda-feira.

A pesquisa da Istat e do Ministério da Saúde italiano foi baseado em testes conduzidos em 64.660 pessoas.

Dados oficiais mostram 248.229 casos confirmados da Covid-19 na Itália, com 35.166 mortos.

O estudo encontrou diferenças locais bem definidas, com a região da Lombardia, no norte do país, onde a epidemia surgiu inicialmente em fevereiro, mostrando que 7,5% da população havia testado positivo para os anticorpos do coronavírus comparado a apenas 0,3% na região da Sicília, no sul da Itália.

A pesquisa concluiu que cerca de 30% das pessoas com anticorpos ficaram assintomáticas, o que aponta para o risco da doença ser propagada por pessoas que não estão cientes que estão transmitindo o vírus.

Reportagem de Emilio Parodi

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up