for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Petrobras puxa recuperação do Ibovespa com ajuda externa e cena corporativa no radar

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa subia cerca de 2% nesta quarta-feira, beneficiado pelo viés positivo no exterior, com as ações da Petrobras entre as maiores altas em meio a avanço do petróleo e extinção de ação de hipoteca judiciária da Previ contra a companhia.

25/07/2019 REUTERS/Amanda Perobelli

A temporada de balanços também repercutia no pregão, com os papéis de Gerdau e Iguatemi entre as maiores altas após resultados trimestrais, enquanto Embraer mostrava fraqueza depois de prejuízo bilionário no segundo trimestre.

Às 11:24, o Ibovespa subia 2,15 %, a 103.388,71 pontos. O volume financeiro era de 8,4 bilhões de reais.

A participação do ministro da Economia, Paulo Guedes, na comissão mista da reforma tributária também é monitorada, principalmente após percepções iniciais de que o texto como está pode resultar em aumento de tributação a alguns setores.

Guedes disse que o espírito do governo é “completamente construtivo” e de “apoio total” à versão mais ampla de um imposto sobre o consumo, após o envio de proposta que mira a junção apenas dos tributos federais PIS e Cofins.

Investidores ainda estão na expectativa de decisão de juros do Banco Central brasileiro após o fechamento do pregão, com a maioria dos economistas consultados pela Reuters esperando que a Selic seja reduzida dos atuais 2,25% para 2% ao ano.

“O comunicado será esmiuçado em busca de sinais de que o ciclo de cortes acabou”, observou a equipe da Elite Investimentos em relatório a clientes mais cedo.

No exterior, o índice norte-americano S&P 500 avançava 0,58%, com um lucro trimestral inesperado da Disney e resultados positivos de companhias do setor de saúde, bem como melhora na atividade do setor de serviços dos Estados Unidos.

O petróleo, por sua vez subia para o maior nível desde o início de março, após dados mostrarem forte queda nos estoques nos EUA.

DESTAQUES

- PETROBRAS PN e PETROBRAS ON avançavam 5,88% e 6,01%, respectivamente, na esteira da alta do petróleo no exterior, onde o Brent subia 3,5%. A petrolífera também reportou na véspera que a 1ª Vara Empresarial e de Conflitos relacionados à Arbitragem de São Paulo extinguiu uma ação de especificação de hipoteca judiciária ajuizada pela Previ.

- IGUATEMI ON tinha alta de 6,99%, mesmo com queda no resultado operacional medido pelo Ebitda do segundo trimestre, quando o setor como um todo sofreu com medidas de isolamento social para conter a pandemia da Covid-19, uma vez que a margem Ebitda caiu apenas 2 pontos percentuais, para 71,4%. O grupo ainda disse que alguns shoppings atingiram neste mês 80% das vendas de um ano antes. No setor, BRMALLS ON subia 7,62% e MULTIPLAN ON tinha alta de 6,80%.

- GERDAU PN valorizava-se 5,21%, tendo no radar que a venda de total de aço avançou 5% no segundo trimestre ante os três primeiros meses deste ano, puxada pelo segmento de longos, que cresceu 10% na mesma comparação diante de uma demanda da construção civil que se mostrou resistente à crise. Com isso, enquanto o Ebitda das operações no país caiu 8% na comparação anual, subiu 23% frente ao primeiro trimestre.

- KLABIN UNIT subia 3,98%, após lucro operacional medido pelo Ebitda ajustado de 1,3 bilhão de reais entre abril e junho, um crescimento de 39% ante o mesmo período do ano anterior e melhor desempenho trimestral da história da fabricante de papel e celulose. Ainda assim, a Klabin encerrou o período com prejuízo líquido de 383 milhões de reais, revertendo lucro de 72 milhões de um ano antes.

- VALE ON avançava 2,88%, tendo de pano de fundo alta dos futuros do minério de ferro na China, após sessão volátil, impulsionados por forte demanda chinesa pela matéria-prima e por preocupações sobre oferta. No setor de mineração e siderurgia, CSN ON subia 2,9% e USIMINAS PNA valorizava-se 4,52%.

- EMBRAER ON cedia 0,13%, após divulgação de prejuízo bilionário pela fabricante de aviões no segundo trimestre. A companhia disse que vê sinais positivos “em alguns mercados”, mas espera um 2021 difícil após adiamentos de entregas.

- ITAÚ UNIBANCO PN mostrava elevação de 0,82%, também se recuperando de fortes perdas na terça-feira, com o setor de bancos como um todo no azul. BRADESCO PN tinha alta de 0,64% e BANCO DO BRASIL ON avançava 0,72%.

- MARFRIG ON caía 1,13%, entre as poucas quedas da sessão, com JBS ON também apresentando desempenho mais fraco do que o Ibovespa, com variação negativa de 0,82%. MINERVA ON subia 1,14%.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up