for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Lula pede que crise mundial seja convertida em oportunidade

SAN SALVADOR (Reuters) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta quinta-feira que a atual crise mundial de alimentos deve ser uma oportunidade, e não um problema para países latino-americanos ou centro-americanos. Uma maior demanda por parte de países em desenvolvimento, como a China, junto da queda nas colheitas e da alta na produção de biocombustíveis, reduziu a disponibilidade de alimentos básicos e estimulou o forte avanço dos preços.

Lula, defensor da produção de biocombustíveis, chegou na noite de quarta-feira a El Salvador para se reunir na quinta-feira com empresários e colegas centro-americanos.

“Sem dúvida este é um problema bom, porque significa que temos que produzir mais alimentos”, disse Lula em um fórum com empresários.

“Temos terras, temos água, temos sol, temos mão-de-obra. Temos que fazer de tudo isso uma oportunidade e não um momento de desespero, de falta de esperança”, acrescentou.

À tarde, Lula teve um encontro com vários presidentes centro-americanos, com os quais acertou solicitar às Nações Unidas que convoquem uma sessão para que se aborde o tema dos altos preços de petróleo e seu impacto nas economias. “Fico feliz pela nota aprovada entre Brasil e os demais países centro-americanos para as Nações Unidas para que se convoque, com caráter de emergência, uma reunião para discutir o preço do petróleo no mundo e os efeitos que isso provoca na questão energética e alimentaria para todo o mundo”, disse Lula ao concluir sua visita.

Lula esteve antes no Haiti, onde visitou tropas brasileiras no país do Caribe.

Reportagem de Alberto Barrera

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up