for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Até 1000 podem ter morrido na Líbia, diz chanceler da Itália

ROMA (Reuters) - Cerca de mil pessoas foram mortas provavelmente na Líbia na repressão desencadeada pelo líder líbio, Muammar Gaddafi, aos protestos contra seu regime, disse nesta quarta-feira o chanceler italiano, Franco Frattini.

“Não temos informações completas sobre o número de pessoas que morreram”, declarou Frattini a repórteres em Roma. “Acreditamos que a estimativa de cerca de mil seja confiável.”

Ele afirmou que, pelo que ouviu da Embaixada da Itália em Trípoli, a região de Cyrenaica, no leste, não é mais controlada por Gaddafi.

Reportagem de James Mackenzie

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up