November 15, 2011 / 1:18 PM / 9 years ago

Obama promete maior presença na Ásia durante visita ao Pacífico

Por Laura MacInnis e Caren Bohan

Presidente Barack Obama fala em coletiva de imprensa na cúpula de países da Ásia Pacífico em Honolulu, no Havaí. Obama divulgará planos para intensificar a presença militar norte-americana na região da Ásia-Pacífico durante uma viagem nesta semana para a Austrália, onde ele espera fortalecer os laços com um importante aliado dos EUA. 13/11/2011 REUTERS/Larry Downing

HONOLULU (Reuters) - O presidente Barack Obama divulgará planos para intensificar a presença militar norte-americana na região da Ásia-Pacífico durante uma viagem nesta semana para a Austrália, onde ele espera fortalecer os laços com um importante aliado dos EUA.

O diminuição gradativa da presença dos EUA nas guerras do Afeganistão e do Iraque abriu as portas para voltar maior atenção às tensões existentes no Mar do Sul da China, uma passagem marítima onde circulam mais de 5 trilhões de dólares em comércio anual e que os Estados Unidos esperam manter aberto.

Depois de sediar uma recente cúpula de comércio da Ásia-Pacífico no Havaí, terra natal de Obama, o presidente delineou sua visão para um papel maior dos Estados Unidos na região em um pronunciamento ao parlamento da Austrália em Canberra na quinta-feira.

Obama então viajará à remota cidade de Darwin —portal de entrada para o Sudeste Asiático— e anunciará planos para mais exercícios conjuntos entre milhares de integrantes da Marinha norte-americana e as forças militares australianas na costa nordeste do país.

O acordo não incluirá bases permanentes dos EUA, mas uma autoridade do governo de Obama disse que seria um passo para um a presença mais estável na Austrália, que ofereceria um acesso maior para o Mar do Sul da China do que as bases norte-americanas no Japão e na Coreia do Sul.

Em Canberra, Obama deve detalhar uma série de interesses estratégicos dos EUA na Ásia, inclusive as preocupações com o tráfico de pessoas e de drogas, pirataria, extremismo violento, além do futuro da península da Coreia.

Os Estados Unidos também estão buscando melhorar suas relações militares com a Índia, outra economia emergente importante com fortes interesses marítimos e comerciais na região, e acelerar sua resposta aos desastres humanitários em toda a Ásia.

Obama é o primeiro presidente norte-americano a visitar Darwin, capital do Território do Norte da Austrália localizado mais próximo da Indonésia do que a costa leste do país, de alta densidade populacional.

A Austrália, um aliado de longa data dos Estados Unidos que tem tropas no Afeganistão, sugeriu à Washington a ideia de realizar mais exercícios militares com as forças norte-americanas e o pré-posicionamento de armas e equipamentos dos EUA na remota região tropical no norte do país.

Depois de uma visita pela Austrália, na primeira como presidente ao continente, Obama viajará a Bali sendo o primeiro presidente norte-americano a participar da cúpula do Leste Asiático, um bloco diplomático que admitiu os EUA e a Rússia neste ano.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below