for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Helicópteros militares bombardeiam maior cidade síria

BEIRUTE, July (Reuters) - Helicópteros militares sírios atacaram neste sábado um bairro de Aleppo sob controle dos rebeldes, enquanto unidades blindadas se posicionavam para uma ofensiva que poderá decidir o destino da maior cidade da Síria, disseram fontes da oposição.

A Turquia, antes aliada, mas agora crítica ferina do governo da Síria, se uniu à crescente pressão diplomática sobre o presidente sírio, Bashar al-Assad, pedindo medidas internacionais para lidar com o reforço da ação militar no país.

O grupo oposicionista Observatório Sírio para os Direitos Humanos, que reúne informações sobre o levante de 16 meses contra Assad, afirmou que helicópteros atacaram o bairro central de Salaheddine, em Aleppo, e há combates em outras partes da cidade.

“Helicópteros estão participando de confrontos na entrada do bairro de Salaheddine e bombardeando-o”, disse o grupo em um comunicado por e-mail. “Há também violentos confrontos na entrada do bairro de Sakhour.”

Um ativista da oposição disse ter visto tanques sírios e veículos blindados se dirigindo para Salaheddine.

A batalha pelo controle da cidade de 2,5 milhões de habitantes é vista como um teste crucial para o governo. Diante de uma crescente insurgência, as autoridades sírias concentraram grandes recursos militares para reter o controle de seus maiores centros de poder.

Embora nenhuma das partes tenha conseguido se impor, o resultado do levante está sendo acompanhado ansiosamente na região e em todo o mundo, dando origem ao temor de que um conflito sectário possa espalhar-se por países vizinhos cuja situação também é instável.

Peritos militares acreditam que a poderosa força militar de Assad vai conseguir sobrepujar os rebeldes em Aleppo e outras grandes cidades, mas corre o risco de perder o controle do interior porque há dúvida sobre a lealdade de grande parte do Exército.

“Provavelmente as forças de Assad vão obter uma vitória tática que representará um revés para as forças da oposição e permitirá ao regime demonstrar seu domínio militar”, disse o analista Ayham Kamel, do Eurasia Group. No entanto, ele acrescentou que os rebeldes estão ficando mais fortes enquanto o Exército entra em declínio.

Segundo o Observatório, neste sábado três rebeldes foram mortos em confronto em Aleppo e na sexta-feira 160 pessoas morreram no conflito em toda a Síria. Com isso, de acordo com o grupo oposicionista, o número total de mortos desde o início do levante chega a cerca de 18 mil pessoas.

Houve relatos de combates também nas cidades de Deraa, Homs e Hama. Pelo menos dez pessoas foram mortas no sábado em uma ação militar em um bairro de Damasco, segundo o Observatório.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up