June 29, 2013 / 2:37 PM / 5 years ago

Obama pede que egípcios dialoguem, não lutem

Por Maggie Fick e Alexander Dziadosz

O presidente dos EUA, Barack Obama, participa de reunião com jovens líderes africanos na Universidade de Johannesburgo Soweto, África do Sul. 29/06/2013 REUTERS/Jason Reed

CAIRO, 29 Jun (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, pediu neste sábado que o governo e a oposição do Egito dialoguem de forma construtiva e evitem que a violência se espalhe na região.

Três pessoas morreram na sexta-feira devido à violência política, incluindo um estudante norte-americano, e manifestações de massa estão agendadas para o domingo com o objetivo de derrubar o presidente islâmico Mohamed Mursi.

Obama disse que está “acompanhando a situação com preocupação”.

Centenas foram feridos e pelo menos oito foram mortos em embates nas ruas que duram mais de uma semana à medida que o impasse político se aprofunda. Na sexta-feira, um manifestante foi morto por uma bomba em protesto na região do Canal de Suez. Washington está recolhendo todos os funcionários não essenciais do Egito.

“Todos os partidos têm de denunciar a violência”, disse Obama na outra extremidade da África, em Pretória, na África do Sul. “Gostaríamos de ver a oposição e o presidente Mursi conversando de forma mais construtiva sobre como fazer o país avançar, porque ninguém está se beneficiando do atual impasse”.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below