July 2, 2013 / 1:37 PM / 5 years ago

Snowden pede asilo a vários países, inclusive Brasil, mas é rejeitado

Por Alissa de Carbonnel e Alexei Anishchuk

MOSCOU, 2 Jul (Reuters) - Vários países rejeitaram nesta terça-feira os pedidos de asilo feitos por Edward Snowden, o norte-americano que revelou atividades secretas de espionagem dos Estados Unidos, mas a Venezuela fez um apelo ao mundo pela proteção dele.

Snowden, de 30 anos, solicitou asilo político a mais de uma dúzia de nações, inclusive o Brasil, na esperança de escapar à perseguição jurídica dos Estados Unidos por ter revelado os programas secretos.

Ele está há nove dias em um limbo jurídico, na área de trânsito do aeroporto Sheremetyevo, em Moscou, onde chegou procedente de Hong Kong, sem documentos de viagem válidos e sem visto para entrar na Rússia.

Na segunda-feira, ele rompeu seu silêncio dos últimos dias e afirmou que, apesar da intensa pressão de Washington, se sente livre para divulgar mais informações. Declarou ainda que se sente ilegalmente perseguido.

Na véspera, o presidente russo, Vladimir Putin, disse que seu país só concederia asilo a Snowden se ele abandonasse sua “atividade antiamericana”. Depois, um porta-voz de Putin disse que o norte-americano já cancelou seu pedido de asilo a Moscou.

Sucessivos países também rejeitaram a concessão de asilo a Snowden, alegando razões técnicas. Mas o governo esquerdista da Venezuela disse que é hora de proteger alguém que “fez algo muito importante para a humanidade”.

Segundo o site WikiLeaks, entre os países abordados estão Índia, China, Brasil, Irlanda, Áustria, Bolívia, Cuba, Finlândia, França, Alemanha, Itália, Holanda, Nicarágua, Noruega, Polônia, Espanha, Suíça e Venezuela.

O governo brasileiro não irá conceder asilo a Snowden, disse um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores nesta terça-feira, acrescentando que deixará o pedido sem resposta.

Antes de deixar Hong Kong, Snowden já havia solicitado asilo ao Equador, e esse parecia ser o destino favorito do norte-americano. Nesta terça-feira, no entanto, o governo esquerdista desse país disse que a solicitação só seria possível se Snowden estivesse em território equatoriano.

Em entrevista a um jornal britânico, o presidente do Equador, Rafael Correa, disse que não cogita conceder asilo a Snowden e que a concessão de um salvo-conduto a ele para que viajasse de Hong Kong a Moscou foi “um erro da nossa parte”.

“Somos responsáveis por levá-lo ao Equador? Isso não é lógico”, disse ele, acrescentando que Snowden é agora um problema da Rússia.

A Noruega disse que dificilmente concederá asilo a Snowden, e a Polônia afirmou que não daria nenhuma “recomendação positiva” para isso.

Finlândia, Espanha, Irlanda e Áustria informaram que pedidos de asilo só podem ser feitos se o interessado estiver nos respectivos territórios nacionais. A Índia disse “não ver razão” para atender ao pedido. A França informou não ter recebido o pedido de asilo.

A Rússia já deixou claro que não deseja Snowden, e autoridades do país disseram que ele poderia deixar o aeroporto em um carro diplomático, que é oficialmente considerado um território estrangeiro.

No entanto, a Rússia não parece disposta a entregar Snowden aos Estados Unidos para não passar uma impressão de fraqueza. Por outro lado, a não cooperação nesse caso, por causa de um homem que não desperta a simpatia de Putin, ex-espião da KGB, poderia abalar as relações entre Moscou e Washington. Os dois países não têm tratado de extradição.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below