July 22, 2013 / 9:12 PM / in 5 years

Carro do papa é cercado por multidão nas ruas do Rio

RIO DE JANEIRO, 22 Jul (Reuters) - O papa Francisco foi recebido nesta segunda-feira por uma multidão nas ruas do Rio de Janeiro, que cercou diversas vezes o carro que o levava do aeroporto ao centro da cidade para cumprimentá-lo e vê-lo de perto, deixando o pontífice exposto e os seguranças em desespero.

Papa Francisco desfila em papamóvel pelo centro do Rio de Janeiro. 22/07/2013 REUTERS/Ueslei Marcelino

Em determinado momento, na avenida Presidente Vargas (centro), a comitiva do papa ficou presa entre diversos ônibus que estavam parados na via e uma multidão que se aglomerou para ver o papa. Sem cordão de isolamento durante o trajeto, as pessoas invadiram algumas as ruas por onde o papa passou.

De acordo com a Prefeitura do Rio, o percurso da Base Aérea do Galeão até o centro estava sob a responsabilidade da Polícia Federal e não era conhecido por questões de segurança.

“O esquema de segurança estava restrito à comitiva do papa, foi mantido em sigilo, e nós não tínhamos essa informação (sobre os esquema)”, disse a jornalistas o secretário municipal de Transportes, Carlos Roberto Osório.

Em meio ao tumulto, um bebê foi levado até o papa, que o abençoou pela janela do carro que permaneceu aberta durante todo o percurso, apesar da proximidade com a multidão.

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, já havia alertado nesta segunda que a organização da Jornada Mundial da Juventude seria mais complexa do que a realização da Copa do Mundo e da Olimpíada na cidade, principalmente devido à presença do papa.

“Do ponto de vista de logística, é o (evento) mais complexo da cidade. Teremos um líder espiritual, o papa Francisco quebra regras... Aqui ele terá total liberdade do mundo para circular e dialogar”, disse o prefeito a jornalistas. “Ele está livre para fazer o que quiser... e está totalmente seguro no Rio de Janeiro”, acrescentou.

Francisco desembarcou na Base Aérea do Galeão pouco antes das 16h e, depois de ser recebido pela presidente Dilma Rousseff e outras autoridades políticas e religiosas, seguiu em comitiva para a Catedral Metropolitana do Rio.

O papa embarcou no papamóvel na área lateral da Catedral, onde centenas de pessoas o aguardavam. No local, os fiéis puderam ter proximidade do pontífice. Muitos se emocionaram e começaram a chorar.

“Ele olhou dentro dos meus olhos e eu senti um aperto no coração, uma coisa inexplicável”, disse Janilza Maria dos Santos, com os olhos marejados, dona-de-casa de 68 anos que veio de Seropédica, Região Metropolitana do Rio, somente para ver o papa.

Muitos fiéis permaneceram na catedral orando e cantando em clima de comunhão e milhares continuaram a festa pelas ruas do centro. Um grupo de mais de 30 pessoas com bandeiras do Congo abraçava e tirava fotos de agentes da Força Nacional, que se mantinham sem reação.

Da Catedral, Francisco seguiu em papamóvel por ruas do centro em um trajeto com cordão de isolamento, que impediu qualquer aproximação. Uma enorme multidão tomou as ruas para acompanhar a passagem do pontífice, que respondeu com acenos e sorrisos. Do alto dos prédios, uma chuva de papel picado foi jogada para saudar o papa.

O pontífice participou depois de cerimônia de boas-vindas no Palácio Guanabara com a presidente Dilma Rousseff e outras autoridades. O papa argentino, eleito em março, afirmou que “quis Deus na sua amorosa providência” que a primeira viagem internacional do seu pontificado fosse à “amada América Latina”.

O pontífice vai presidir no Rio as celebrações da Jornada Mundial da Juventude até domingo.

Por Felipe Pontes e Rodrigo Viga Gaier

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below