August 1, 2013 / 5:35 PM / 4 years ago

Assad diz ter certeza de vitória sobre rebeldes sírios

Por Oliver Holmes

BEIRUTE, 1 Ago (Reuters) - O presidente sírio, Bashar al-Assad, disse nesta quinta-feira que está seguro da vitória contra os rebeldes e fez uma visita simbólica a uma cidade que já foi invadida pelos insurgentes, mas que agora está nas mãos das forças do governo.

A visita à castigada cidade de Daraya, a sudoeste de Damasco, e o discurso desafiante ilustram a confiança de um presidente que está levando vantagem em um conflito com mais de dois anos de duração, que levou muitos sírios a acreditar que Assad estava prestes a ser derrubado.

“Se não tivéssemos certeza de que íamos vencer na Síria, não teríamos a capacidade de resistir e a capacidade de continuar lutando por mais de dois anos contra o inimigo”, disse Assad, segundo a agência de notícias estatal Sana.

Insurgentes tomaram largas porções do território sírio, mas as forças de Assad realizaram uma contraofensiva nas últimas semanas, expulsando-os do entorno da capital Damasco e retomando várias cidades perto da fronteira com o Líbano.

Assad descreveu a revolta contra quatro décadas do governo de sua família como uma conspiração apoiada por estrangeiros e combatida por “terroristas” islâmicos.

Quando os protestos pró-democracia começaram, em março de 2011, uma repressão militar levou a uma insurreição armada.

Os rebeldes usam bombas e morteiros para atingir áreas controladas pelo governo, onde são incapazes de prosseguir com infantaria.

Uma enorme explosão atingiu a cidade de Homs nesta quinta-feira em um bairro habitado principalmente por alauítas --a mesma seita de Assad--, lançando uma bola de fogo no ar, mostraram um vídeo colocado na Internet e ativistas da oposição.

Moradores da região disseram que a explosão foi um ataque rebelde a um depósito de armas. Um morador disse que o som de múltiplas explosões pôde ser escutado por uma hora enquanto as munições eram detonadas. Eles disseram que o ataque atingiu um salão esportivo no distrito de Wadi al-Dhahab, no sudeste, que fora retomado pelo Exército.

O Observatório Sírio para os Direitos Humanos, um grupo de monitoramento da violência contra Assad, disse que a explosão matou pelo menos 40 soldados e civis e deixou 120 feridos, alguns em situação crítica.

Um rebelde em Homs disse que o ataque foi causado por um míssil terra-terra “Grad”. Ele não disse que grupo rebelde havia disparado o míssil.

A Reuters não pode verificar de maneira independente relatos da Síria por causa de restrições rígidas de segurança e de reportagem.

Investigadores da ONU dizem que as forças de Assad cometeram crimes de guerra, incluindo assassinato, tortura, violência sexual, ataques indiscriminados e saques, no que parece ser uma política dirigida pelo Estado. Eles dizem que os rebeldes também cometeram crimes de guerra, inclusive execuções, mas em escala menor.

Reportagem adicional de Alexandria Sage, em Paris

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below