2 de Outubro de 2013 / às 21:01 / em 4 anos

Embaixada russa na Líbia é atacada; não há diplomatas feridos

MOSCOU, 2 Out (Reuters) - A embaixada da Rússia na capital líbia, Trípoli, foi atacada nesta quarta-feira e homens armados tentaram entrar no complexo, disse um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores russo.

Uma fonte diplomática na Líbia afirmou que os seguranças dispararam tiros para dispersar cerca de 60 pessoas que se aproximaram da embaixada. O complexo foi rapidamente protegido por guardas e, de acordo com o Ministério das Relações Exteriores, nenhum diplomata ficou ferido no incidente.

O ataque é um indicativo da volatilidade do país dois anos após a derrubada de Muammar Gaddafi. Rivalidades tribais e entre clãs, além de grupos islâmicos, que surgiram com a ausência de um governo central forte, têm causado problemas aos serviços de segurança, eles próprios dilacerados.

Tem ocorrido uma série de ataques a diplomatas ocidentais por grupos militantes, o pior deles contra o consulado dos Estados Unidos em Benghazi, onde o embaixador norte-americano foi morto no ano passado.

“Em Trípoli... um tiroteio ocorreu e houve uma tentativa de entrar no território da embaixada russa na Líbia”, disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores Alexander Lukashevich à televisão estatal.

“De acordo com informações preliminares, não houve feridos entre os integrantes da missão diplomática russa.”

DISPUTA

A razão para o ataque não estava imediatamente clara, mas uma fonte diplomática afirmou que não parece estar diretamente ligado a qualquer grupo militante. Ele disse que uma mulher ucraniana matou um líbio na terça-feira e buscou refúgio na embaixada russa.

A multidão, então, foi ao local para protestar e procurar por ela.

A agência de notícias russa Itar Tass citou fontes anônimas dizendo que o território da embaixada estava agora totalmente sob controle.

“Nas primeiras horas da noite, um ataque armado foi realizado na missão diplomática e houve uma tentativa de invasão. Os agressores abriram fogo e rasgaram a bandeira russa.”

As fontes disseram que autoridades líbias estavam procurando os atiradores.

Militantes ligados a afiliadas da Al Qaeda atacaram o consulado dos Estados Unidos em Benghazi e mataram Christopher Stevens, o embaixador dos EUA na Líbia, e outros três norte-americanos em 11 de setembro de 2012.

As potências ocidentais, com apoio do poder aéreo, lideraram uma campanha militar que derrubou Gaddafi. A Rússia, porém, não fez parte da ação e condenou o que chamou de abuso do Ocidente no Conselho de Segurança das Nações Unidas para intervir.

Reportagem de Thomas Grove e Patrick Markey em Tunis

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below