October 4, 2013 / 12:19 AM / 4 years ago

Índios protestam no Congresso e invadem sede da CNA em Brasília

BRASÍLIA, 3 Out (Reuters) - Índios protestaram em frente ao Congresso Nacional e invadiram a sede da Confederação de Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), nesta quinta-feira, para cobrar a proteção de territórios indígenas e contra o que consideram ser uma tentativa de exploração do agronegócio em suas terras tradicionais.

Os índios fizeram um enterro simbólico da ministra Gleisi Hoffmann (Casa Civil), da senadora Kátia Abreu, presidente da CNA, e do deputado federal Ronaldo Caiado (DEM-GO), para protestar, entre outras demandas, contra a proposta de emenda à Constituição que submete ao Parlamento as demarcações de terras indígenas estabelecidas pela União (PEC 215).

Indígenas também entregaram a deputados reivindicações em defesa de demarcações e fizeram uma queima simbólica da PEC. Eles ainda pediram o arquivamento dessa e de outras propostas.

“A bancada ruralista, a serviço de interesses privados, quer a qualquer custo suprimir os nossos direitos, rasgando a Constituição Cidadã, por meio de dezenas de projetos de lei e emendas à Constituição... e outras tantas iniciativas legislativas nocivas, destinadas a legalizar a exploração e destruição, disfarçada de progresso, dos nossos territórios e da mãe natureza”, disseram os indígenas em uma declaração da Mobilização Nacional Indígena, responsável por organizar os protestos e que diz representar mais de 100 povos distintos.

Um grupo de cerca de 500 índios invadiu a CNA e ocupou o andar térreo do prédio, de forma pacífica, por cerca de uma hora na tarde desta quinta, de acordo com a assessoria de imprensa da confederação. A CNA informou que durante a invasão não foi apresentada nenhuma reivindicação e que os índios deixaram o local sem qualquer incidente de violência.

Os índios estão acampados em frente ao Congresso desde o início da semana como parte da Mobilização Nacional Indígena, que tem duração prevista até sábado. Na quarta-feira, houve uma tentativa de invasão dos indígenas ao prédio do Congresso, em que um vigilante e um manifestante ficaram feridos.

O presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), suspendeu na terça-feira a comissão especial que analisaria a PEC 215, que estava prevista para acontecer nesta semana. A decisão foi tomada para acalmar os indígenas, segundo a Agência Câmara.

Em mensagem no Twitter, na terça-feira à noite, a presidente Dilma Rousseff disse que o governo é contra a PEC 215 e que orientou a base do governo no Congresso a votar contra a proposta quando for à votação.

Algumas lideranças indígenas foram recebidas nesta quinta pelo ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, que apresentou a posição do governo contrária à PEC. O ministro disse que o governo considera a proposta “inconstitucional”.

Reportagem de Nestor Rabello

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below