October 5, 2013 / 6:00 PM / 4 years ago

Militantes da Somália dizem que tropas ocidentais atacaram base e mataram combatente

Por Feisal Omar e Abdi Sheikh

MOGADÍSCIO, 5 Out (Reuters) - Militantes somalis do grupo Al Shabaab disseram no sábado, que forças ocidentais invadiram uma cidade costeira durante a noite, matando um combatente rebelde, e as autoridades disseram que o alvo era um líder checheno do grupo islâmico.

Tropas internacionais desembarcaram na praia em Barawe, a cerca de 180 km ao sul de Mogadíscio, e iniciaram um ataque ao amanhecer, que levou a um tiroteio com os combatentes rebeldes, em uma das bases costeiras da milícia, disse o porta-voz das operações militares da Al Shabaab, Sheik Abdiasis Abu Musab, à Reuters.

Não ficou claro se o ataque teve relação com o atentado a um shopping center no Quênia há duas semanas, que o grupo ligado à al Qaeda disse ter realizado e que matou pelo menos 67 pessoas.

O líder do Shabaab, Ahmed Godane, também conhecido como Mukhtar Abu al-Zubayr, disse que o ataque ao shopping foi em retaliação à incursão do Quênia, em 2011 no sul da Somália, para esmagar os insurgentes.

Forças navais ocidentais estão patrulhando o mar ao largo da Somália --mergulhada em conflitos há mais de duas décadas-- e no passado já lançaram ataques a partir de navios de guerra.

Barawe é totalmente controlado pela milícia islâmica, com quase nenhuma presença do governo.

Forças norte-americanas e francesas realizaram ataques similares na Somália no passado.

CHECHENOS

Autoridades de segurança somalis fizeram relatos parciais conflitantes.

“Entendemos que as tropas francesas feriram Abu Diyad, também conhecido como Abu Ciyad, um líder da Al Shabaab na Chechênia. Eles mataram seu principal guarda que também era um estrangeiro. O alvo principal era o líder da Al Shabaab da Chechênia,” disse uma autoridade da inteligência baseada em Mogadíscio, que disse à Reuters se chamar Mohamed.

O Exército francês disse anteriormente que não estava envolvido no ataque.

Uma segunda fonte da inteligência da Somália disse que o ataque ao Barawe havia sido realizado por forças norte-americanas. Ele confirmou que o alvo era um cidadão estrangeiro, e disse que outro estrangeiro havia sido ferido. O Pentágono se recusou a comentar.

O coronel Abdikadir Mohamed, uma alta autoridade policial em Mogadíscio disse que acreditava que as tropas que atacaram eram norte-americanas e que seu alvo era um estrangeiro alto funcionário da Al Shabaab.

Em 2009, um helicóptero norte-americano das forças especiais mataram o militante da Al Qaeda, Saleh Ali Saleh Nabhan, durante um ataque no sul da Somália. Suspeitava-se que Nabhan havia construído a bomba que matou 15 pessoas em um hotel de propriedade israelense na costa do Quênia, em 2002.

A Otan negou seu envolvimento no ataque de Barawe, assim como o Navfor (a força naval) da UE, a missão antipirataria na costa da Somália.

“Ocidentais em barcos atacaram a nossa base na praia de Barawe e houve um mártir do nosso lado,” disse Musab.

“Nenhum avião ou helicóptero participou da luta. Os agressores deixaram armas, remédios e manchas de sangue, nós os perseguimos”, acrescentou.

“Embora os dois lados tenham lançado granadas, os agressores tinham armas com silenciadores, então as armas que ouvíamos era nossas.”

Reportagem adicional de Marion Douets e Adrian Croft, em Bruxelas

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below