October 10, 2013 / 10:30 AM / 5 years ago

Premiê líbio é solto após ser capturado por ex-rebeldes

Por Ghaith Shennib Ulf Laessing

Primeiro-ministro da Líbia, Ali Zeidan, fala na 68ª edição da Reunião Geral das Nações Unidas em Nova York, 25 de setembro de 2013. Ex-rebeldes armados libertaram na quinta-feira o primeiro-ministro da Líbia, Ali Zeidan, que havia passado horas como refém numa represália pela ação militar norte-americana que resultou na prisão de um dirigente da Al Qaeda em Trípoli, segundo autoridades.REUTERS/Andrew Burton/Pool

TRÍPOLI, 10 Out (Reuters) - Ex-rebeldes armados libertaram na quinta-feira o primeiro-ministro da Líbia, Ali Zeidan, que havia passado horas como refém numa represália pela ação militar norte-americana que resultou na prisão de um dirigente da Al Qaeda em Trípoli, segundo autoridades.

“O primeiro-ministro foi solto”, confirmou uma fonte governamental. Uma fonte de segurança também disse que Zeidan foi libertado.

Um jornalista da Reuters no lado de fora do Ministério do Interior, onde o premiê foi mantido como refém por milicianos ligados ao governo, disse que pessoas que exigiam a libertação dele chegaram a fazer disparos com armas. Zeidan foi capturado ao alvorecer em um hotel de luxo onde vive sob segurança reforçada. O sequestro durou cerca de seis horas

Dois anos depois da revolução que derrubou o ditador Muammar Gaddafi, a Líbia continua caótica. Seu vulnerável governo central e as incipientes Forças Armadas lutam para conter milícias tribais rivais e militantes islâmicos que controlam parte do país.

A milícia, que havia sido contratada pelo governo para garantir a segurança em Trípoli, disse ter “prendido” Zeidan depois de o secretário de Estado norte-americano, John Kerry, declarar que o governo líbio havia se envolvido na operação militar norte-americana que resultou na captura do militante Abu Anas al Liby.

Depois da captura de Liby, Zeidan negou que o governo líbio tivesse sido informado de antemão da operação sigilosa. Nesta semana, militantes islâmicos divulgaram nota defendendo retaliações contra alvos ocidentais e criticando Zeidan por ter permitido a operação.

O analista Geoff Porter, da consultoria North Africa Risk, disse que o sequestro de Zaeidan “indica claramente que seu governo não é coeso, e que não só seu governo não controla o país como ele não controla o seu governo”.

Antes de Zeidan ser libertado, um funcionário do departamento de combate ao crime do Ministério do Interior disse à agência estatal de notícias que Zeidan, um ex-diplomata que atuou no exílio contra o regime de Gaddafi, estava sendo mantido no local e recebia bom tratamento.

Reportagem adicional de Yara Bayoumy no Cairo

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below