October 18, 2013 / 1:33 PM / 4 years ago

Caças sírios bombardeiam cidade após morte de general

Por Dominic Evans

BEIRUTE, 18 Out (Reuters) - Caças sírios bombardearam nesta sexta-feira a cidade de Deir al-Zor, no leste do país, após violentos combates durante a noite e a morte de um dos chefes de inteligência do governo de Bashar al-Assad, segundo ativistas.

O general Jama‘a Jama‘a foi morto na quinta-feira por franco-atiradores no meio de uma batalha contra rebeldes, entre os quais se incluíam forças da Al Qaeda, disse o Observatório Sírio de Direitos Humanos.

A morte dele foi celebrada por rebeldes e por ativistas civis da oposição, por marcar um revés significativo na disputa por Deir al-Zor, capital da homônima província produtora de petróleo.

Jama‘a, de 59 anos, foi o chefe da inteligência militar síria no Líbano até 2005, quando Assad, sob intensa pressão internacional, retirou suas tropas do pequeno país vizinho.

A retirada ocorreu após o assassinato do premiê libanês Rafik al-Hariri, um crime amplamente atribuído à Síria na época, e pelo qual o próprio Jama‘a foi investigado, segundo o Observatório.

Depois disso, Jama‘a foi nomeado chefe da inteligência militar em Deir al-Zor, uma posição estratégica por causa do fluxo de militantes sunitas para o Iraque, onde enfrentavam as forças dos EUA e do governo xiita iraquiano.

Em agosto de 2011, cinco meses depois do início da onda de protestos contra Assad, a União Europeia impôs sanções a Jama‘a por sua participação na “repressão e violência contra a população civil”.

Ativistas dizem que dezenas de rebeldes e forças pró-Assad morreram nesta semana nos combates em torno de Deir al-Zor.

O Observatório relatou confrontos em vários bairros da cidade durante a noite, e disse que rebeldes da Frente Nusra, ligada à Al Qaeda, executaram dez soldados capturados no bairro de Rashidiyah, onde Jama‘a foi morto na quinta-feira.

Embora os rebeldes tenham feito avanços e realizado um ataque contra um aeroporto militar da região, dificilmente eles conseguirão uma vitória rápida na estratégica região petroleira, que faz fronteira com o Iraque, segundo avaliação de Rami Abdulrahman, que integra o Observatório Sírio de Direitos Humanos, com sede na Grã-Bretanha.

Embora grande parte da província de Zeir al-Dor esteja sob controle dos rebeldes, algumas tribos permanecem leais a Assad, enquanto o controle da capital regional está dividido entre rebeldes e legalistas.

Reportagem adicional de Stephanie Nebehay

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below