October 21, 2013 / 9:04 AM / in 5 years

Partido alemão SPD apoia coalizão com Merkel, mas impõe exigências

BERLIM, 20 Out (Reuters) - Os líderes do Social Democrata da Alemanha (SPD) receberam sinal verde de seu partido para iniciar negociações de coalizão com Angela Merkel neste domingo, após terem conseguido obter concessões da chanceler sobre salário mínimo, igualdade salarial e impostos sobre as transações.

Líder do partido Social Democrata da Alemanha (SPD), Sigmar Gabriel, é visto durante entrevista coletiva em Berlim. Os líderes do SPD receberam sinal verde de seu partido para iniciar negociações de coalizão com Angela Merkel neste domingo, após terem conseguido obter concessões da chanceler sobre salário mínimo, igualdade salarial e impostos sobre as transações. 20/10/2013 REUTERS/Tobias Schwarz

As discussões entre Merkel e o SPD, partido de centro-esquerda, sobre a formação de um novo governo alemão podem começar na quarta-feira, um mês depois de uma eleição transformar os conservadores de Merkel na maior força política, mas ainda precisando de um parceiro para formar uma maioria.

A disposição do SPD de travar negociações vem a um preço, o partido deu uma lista de exigências ditas “não negociáveis”, incluindo um salário mínimo de 8,50 euros por hora, igual remuneração para homens e mulheres, maior investimento em infraestrutura e educação, e uma estratégia comum para impulsionar o crescimento da zona do euro.

De um total de 229 votos emitidos pelos membros sênior do SPD, 31 foram contra e 2 se abstiveram, disse o presidente do partido, Sigmar Gabriel.

“Nossa meta é formar um governo até o Natal. Isso deve ser tempo o suficiente”, acrescentou.

O partido também exigiu pensões iguais para antigas alemanhas Oriental e Ocidental, a possibilidade de ter dupla cidadania, e medidas para tornar mais fácil conciliar a vida profissional com a familiar.

O SPD, segundo colocado nas eleições mas muito atrás de Merkel, era visto como o parceiro mais provável da chanceler desde o início, mas o partido está empenhado em evitar uma reprise de sua “grande coalizão” de 2005 a 2009 com Merkel.

O SPD emergiu de tal situação com seus piores resultados em eleições desde a Segunda Guerra Mundial, tornando muitos membros céticos sobre uma outra união.

Um grupo de membros descontentes do SPD protestaram em frente à sede do partido em Berlim.

Reportagem de Holger Hansen e Alexandra Hudson

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below