November 21, 2013 / 10:43 PM / 4 years ago

Genoino passa mal em presídio e é levado para hospital com suspeita de infarto

BRASÍLIA, 21 Nov (Reuters) - O deputado federal licenciado (PT-SP) José Genoino, condenado no processo do mensalão e preso desde o fim de semana no Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília, passou mal nesta quinta-feira e foi transferido para um hospital com suspeita de infarto, de acordo com o seu advogado.

O deputado deu entrada na emergência do Instituto de Cardiologia do Distrito Federal, antigo Incor, no início da tarde desta quinta-feira, informou o hospital. O advogado do deputado, Luiz Fernando Pacheco, disse que a suspeita é de infarto.

Em nota divulgada no início desta noite, o hospital informou que Genoino passou por uma bateria de exames e que os resultados serão encaminhados ao Judiciário conforme determinação judicial.

O hospital disse ainda que o parlamentar “deverá permanecer em observação nesta noite e será reavaliado amanhã pela manhã (sexta-feira)”.

Após a entrada de Genoino no hospital, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e relator do processo do mensalão, Joaquim Barbosa, decidiu atender parcialmente ao pedido de prisão domiciliar feito pela defesa do parlamentar. Genoino poderá se tratar em casa ou em um hospital até que a Justiça receba uma perícia médica sobre seu estado de saúde.

Presidente do PT à época do mensalão, Genoino foi condenado a 6 anos e 11 meses pelos crimes de formação de quadrilha e corrupção ativa. O réu apresentou recursos questionando a pena por formação de quadrilha, mas está preso por corrupção desde sexta-feira --sendo até segunda-feira em regime fechado e desde então em regime semiaberto. Os recursos ainda serão analisados pelo Supremo Tribunal Federal.

O deputado passou por um cirurgia cardíaca em julho e em setembro entrou com pedido na Câmara de aposentadoria por invalidez. Na ocasião, uma junta médica recomendou que ele tirasse licença e fizesse uma reavaliação em janeiro do próximo ano.

Genoino pode ainda enfrentar um processo de cassação de seu mandato. Mas para isso, a Mesa Diretora da Câmara precisa abrir processo de perda de mandato, uma decisão que foi adiada para a próxima semana.

Reportagem de Maria Carolina Marcello

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below