November 28, 2013 / 1:57 PM / 5 years ago

Vídeo mostra execução de rebeldes sírios por facção ligada à Al Qaeda

BEIRUTE, 28 Nov (Reuters) - Militantes ligados à Al Qaeda executaram em público o comandante de uma facção rebelde rival e seis de seus homens, de acordo com imagens de um vídeo amador que mostra a matança, como parte de uma campanha para enfraquecer outros grupos rebeldes sírios.

O Estado Islâmico no Iraque e o Levante, uma das organizações que tentam depor o presidente sírio, Bashar al-Assad, vem tirando proveito do vazio de poder em áreas sob controle rebelde para impor sua autoridade sobre vertentes mais moderadas da oposição armada.

O vídeo, divulgado na Internet na quarta-feira pelo Observatório Sírio pelos Direitos Humanos, organização anti-Assad, mostra homens armados em roupas pretas de pé sob uma faixa do grupo Estado Islâmico.

Segundo o Observatório, o vídeo foi feito na cidade de Atarib, província de Idlib, no norte da Síria. A autenticidade não pôde ser confirmada por fonte independente.

Um mascarado no vídeo identifica sete homens ajoelhados como sendo membros da brigada Ghurabaa al-Sham, grupo islâmico moderado, um dos primeiros a entrar na luta contra Assad. Um homem que parece ser o comandante Hassan Jazera está entre eles.

“Hassan Jazera é o mais corrupto e o maior ladrão”, disse o mascarado. Ele falava em um microfone para uma multidão de homens, dos quais alguns usavam celulares para filmar a execução.

Lendo um texto numa folha, ele dizia que os homens do grupo de Jazera também tinham sido acusados de sequestro e haviam sido julgados em uma corte religiosa dirigida pelo grupo Estado Islâmico. Depois, eles foram mortos com um tiro na cabeça.

Em maio, uma aliança de grupos islamistas se voltou contra o Ghurabaa al-Sham, depois de um desentendimento sobre controle de território e queixas de saques. A unidade de Jazera, de cerca de 100 combatentes, foi tudo o que restou dos quase 2 mil membros do Ghurabaa al-Sham, disseram integrantes desse grupo à Reuters meses atrás.

Jazera e seus homens foram presos pelo Estado Islâmico há um mês, segundo o Observatório, entidade com sede na Grã-Bretanha.

A ascensão da Al Qaeda na Síria forçou algumas autoridades no Ocidente a moderar seus chamados pela remoção de Assad do poder.

Em agosto, o Estado Islâmico assumiu o controle da cidade de Azas, na fronteira norte, expulsando da área unidades do grupo Exército Sírio Livre. Na sexta-feira, o Estado islâmico capturou uma outra cidade na fronteira, retirando do poder uma organização islamista moderada e prendendo seu líder.

O levante sírio contra quarto décadas da família Assad no poder começou em 2001 e se transformou em guerra civil depois que forças de Assad atiraram contra manifestantes e puseram os tanques nas ruas para esmagar o movimento de protesto. Mais de 100 mil pessoas foram mortas no conflito e milhões tiveram de abandonar suas casas.

Reportagem de Oliver Holmes e Reuters TV

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below