December 22, 2013 / 7:48 PM / 4 years ago

Cresce temor de guerra civil no Sudão do Sul; rebeldes tomam cidade

Por Carl Odera e Ben Makori

JUBA, 22 Dez (Reuters) - O governo do Sudão do Sul disse neste domingo que rebeldes tomaram a capital de uma região produtora de petróleo, à medida que crescem os temores de uma guerra civil étnica no país mais jovem do mundo.

A ONU anunciou estar tentando apressar o envio de mais forças pacificadoras ao empobrecido e territorialmente isolado Sudão do Sul, enquanto potências estrangeiras exortaram os dois lados a parar de lutar, temendo pela estabilidade de uma região já frágil da África.

O governo do Sudão do Sul afirmou em sua conta no Twitter que não detém mais o controle de Bentiu, a capital de Unity State.

“Bentiu atualmente não está em nossas mãos, mas nas mãos do comandante que declarou apoio a Machar (o ex-vice-presidente Riek Machar)”, disse o governo.

No sábado, o ministro da Informação, Michael Makuei, disse que John Koang, um comandante do Exército em Unity State, desertou e se juntou ao líder rebelde Machar, que o havia nomeado governador do Estado.

Mas o governo de Juba declarou ainda ter o controle dos campos de petróleo essenciais à economia.

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, disse em uma coletiva de imprensa em Manila que a Organização das Nações Unidas planeja enviar recursos de outras missões pacificadoras na região para o Sudão do Sul.

“No momento estamos tentando ativamente transferir nossos recursos de outras missões pacificadoras, como a da República Democrática do Congo, e de algumas outras áreas”, afirmou.

“E também estamos buscando apoio de outros países-chave que podem fornecer os meios necessários”, acrescentou.

Embates entre grupos rivais de soldados na capital Juba uma semana atrás se espalharam pelo país, que conquistou a independência do Sudão em 2011 depois de décadas de guerra.

O presidente Salva Kiir, da etnia dinka, acusou Machar, da etnia nuer e demitido por ele em julho, de tentar dar um golpe. Os dois são rivais políticos há tempos.

Machar descartou a acusação, mas desde então disse estar comandando tropas que lutam contra o governo.

Soldados do governo se depararam com Machar com um grupo de combatentes em Bor, disse o ministro das Relações Exteriores, Barnaba Marial Benjamin, sem dar detalhes.

“Riek conseguiu escapar, usou seu barco ao longo do Nilo e foi parar em seu vilarejo de Ado, de onde foi para Bentiu (a capital administrativa de Unity)... na noite anterior, atacou instituições governamentais”, acrescentou.

Na sexta-feira, mediadores de outros Estados africanos se encontraram com o presidente Kiir em Juba para o que chamaram de conversas “produtivas”. Seu governo disse estar disposto a manter conversações com qualquer grupo rebelde.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below