December 23, 2013 / 12:22 PM / 5 years ago

Dilma diz que Estado precisa responder vozes dos que foram às ruas

23 Dez (Reuters) - A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta segunda-feira, em mensagem de fim de ano aos servidores públicos, que o Estado brasileiro precisa oferecer serviços de qualidade para responder às cobranças dos manifestantes que foram às ruas de diversas cidades do país em 2013, principalmente no mês de junho.

A presidente Dilma Rousseff acena conforme chega para uma cerimônia de Natal em São Paulo. A presidente afirmou nesta segunda-feira, em mensagem de fim de ano aos servidores públicos, que o Estado brasileiro precisa oferecer serviços de qualidade para responder às cobranças dos manifestantes que foram às ruas de diversas cidades do país em 2013, principalmente no mês de junho. 19/12/2013 REUTERS/Paulo Whitake

“As vozes dos que foram às ruas querem melhores serviços públicos, mais médicos, mais educação, mais transporte de qualidade, mais segurança”, disse Dilma em mensagem no Twitter.

“Cabe a todos nós, servidores públicos, responder essas vozes. O Estado brasileiro precisa oferecer serviços públicos de qualidade para todos, promovendo inclusão social e cidadania”, acrescentou a presidente, que disse estar dirigindo-se aos servidores depois de um ano de “trabalho árduo e também de muitas conquistas”.

Em junho deste ano, milhares de manifestantes tomaram as ruas de diversas cidades do país para protestar contra a má qualidade dos serviços públicos, a corrupção e até os gastos com a organização da Copa do Mundo de 2014.

As manifestações, que em um único dia levaram mais de 1 milhão de pessoas às ruas, aconteceram durante a realização da Copa das Confederações, pegando de surpresa o governo e a Fifa num evento-teste para o Mundial do ano que vem.

Em resposta aos protestos, a presidente lançou cinco pactos nacionais em prol do combate à corrupção e melhoria dos serviços públicos de transportes, saúde e educação, além da responsabilidade fiscal.

Desde então, a presidente tem viajado o país para anunciar obras de mobilidade urbana e fez dos investimentos em educação dos recursos provenientes da exploração do petróleo na camada do pré-sal tema constante de seus discursos. O programa Mais Médicos também tornou-se uma vitrine para o governo.

Por Pedro Fonseca, no Rio de Janeiro

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below