January 3, 2014 / 9:13 PM / 5 years ago

Comboio de navios se dirige com atraso à Síria para recolher armas químicas

NICÓSIA, 3 Jan (Reuters) - Quatro navios noruegueses e dinamarqueses, com capacidade para transportar centenas de toneladas de agentes químicos letais para fora da Síria, se dirigiam para águas internacionais na costa síria nesta sexta-feira, disse o porta-voz militar da Noruega, Lars Magne Hoytun.

A operação está atrasada em relação à meta, que era o dia 31 de dezembro, disse Hoytun, mas as embarcações já deixaram o porto cipriota de Limassol, situado cerca de 250 quilômetros a oeste do porto sírio de Latakia, onde devem recolher a carga química.

“Os quatro navios iniciaram agora o trajeto em direção a uma área de espera em águas internacionais diante da Síria, portanto, estaremos prestes a entrar no porto de Latakia quando a ordem chegar”, afirmou.

O prazo original não foi cumprido por causa das más condições meteorológicas, atrasos na logística e o conflito dentro da Síria, onde as forças do presidente Bashar al-Assad lutam para retirar rebeldes de estradas pelas quais os produtos químicos vão ser transportados.

A Organização para a Proibição das Armas Químicas (Opaq), que está supervisionando a remoção do material em conjunto com autoridades sírias e a Organização das Nações Unidas, ainda não disse exatamente quando os agentes químicos estarão prontos para o embarque em Latakia.

“Em qualquer operação deste tipo não se estabelece o dia da execução, mas nós estamos satisfeitos por saber que o trabalho está prestes a ser concluído”, disse à Reuters nesta semana a coordenadora especial da Missão Conjunta Opaq-ONU, Sigrid Kaag.

“Este é um exercício de gerenciamento muito complexo - acima de tudo pelo fato de se tratar de um programa de armas químicas que tem de ser destruído num momento em que um país está em guerra”, disse ela.

A Síria concordou em abandonar seu arsenal de armas químicas com base em um acordo proposto pela Rússia e firmado com os Estados Unidos, depois de um ataque com gás sarin em 21 de agosto, que nações ocidentais atribuíram ao governo de Assad. As autoridades sírias negam ter usado armas químicas e acusam os rebeldes por esse e outros ataques.

Assim que tiverem retirado o material de Latakia, os navios nórdicos serão escoltados por embarcações chinesas e russas até um porto italiano de onde a carga será embarcada em um navio dos EUA adaptado para destruir produtos químicos.

O navio norte-americano Cape Ray deve partir dos EUA com destino ao Mediterrâneo dentro de aproximadamente duas semanas.

Reportagem de Michele Kambas

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below