February 2, 2014 / 5:38 PM / 5 years ago

Alemanha promete mais envolvimento, mas nada no campo de batalha

Por Stephen Brown

MUNIQUE, 2 Fev (Reuters) - Os Estados Unidos e os aliados europeus da Alemanha saudaram a promessa de Berlim de ter uma política externa mais robusta mas sem o apetite de movimentar tropas para batalhas — isso pode significar pouco mais do que ajuda logística e uma retórica mais dura.

Na conferência de segurança deste ano em Munique, na qual 11 anos atrás o pacifista que virou ministro das Relações Exteriores, Joschka Fischer, disse ao secretário da Defesa dos Estados Unidos Donald Rumsfeld “desculpe, mas não estou convencido” sobre a guerra no Iraque, a Alemanha prometeu que a reação imediata não será mais “não” para qualquer missão de intervenção.

“Na minha visão, para ser uma boa aliada, a Alemanha deveria se envolver mais rapidamente, mas decisivamente e mais substancialmente”, disse o presidente Joachim Gauck, em uma mensagem que foi reforçada pelos ministros de Relações Exteriores e da Defesa.

“A Alemanha é muito grande para apenas comentar a política mundial do lado de fora”, disse o ministro do Exterior, Frank-Walter Steinmeier.

Sete décadas depois da derrota dos nazistas, a Alemanha ainda se sente presa pela história, e demonstrações públicas de patriotismo, como bandeiras em partidas de futebol, são um fenômeno muito recente.

Os norte-americanos e os vizinhos mais próximos da Alemanha pedem há bastante tempo para que ela forneça uma liderança mais decisiva na Europa - além de apenas prescrever austeridade durante a crise da zona do euro - e participe mais ativamente da geopolítica, usando as suas relações comerciais como um trunfo.

“Com todo respeito, liderar não significa reunir-se em Munique para discussões. Significa comprometer seus recursos”, disse o secretário do Estado dos Estados Unidos, John Kerry, na 50ª conferência de segurança em Munique, neste final de semana.

O ministro de Relações Exteriores da Polônia, Radoslaw Sikorski, que disse em 2011 que “temia o poder da Alemanha menos do que começava a temer a inatividade da Alemanha”, afirmou à Reuters em Munique que “felizmente” a Alemanha está participando da crise na Ucrânia.

Até agora, isso significa a chanceler Angela Merkel condenar com firmeza a repressão do presidente Viktor Yanukovich aos manifestantes e conversar com o presidente russo Vladimir Putin pelo telefone.

Uma diplomacia mais robusta, por si só, não deve apagar o que o senador republicano John McCain descreveu como um momento “embaraçoso” da Alemanha, em 2011, quando o país se recusou a ajudar seus aliados da Otan no apoio à luta dos libaneses contra Muammar Gaddafi.

O norte-americano McCain disse à Reuters que o discurso de Gauck foi importante, mas reconheceu que o presidente “não comprometeu a Alemanha com nada mais específico ou maior”. As expectativas de McCain se limitam a um papel militar maior em desastres e questões humanitárias.

Uma autoridade sênior de defesa dos Estados Unidos, falando anonimamente, disse que os alemães em Munique manifestaram interesse em uma política de segurança internacional mais “expedicionária”.

A fonte citou a intervenção liderada pela França, no Mali, na qual cerca de 100 militares alemães ajudaram as tropas no transporte aéreo e nos treinamentos, e uma missão europeia na República Centro-Africana, sobre a qual a Alemanha disse que novamente pode fornecer ajuda logística - mas nenhum poder de fogo.

Isso condiz bastante com todas as missões internacionais da Alemanha: quase 5 mil alemães participam atualmente de nove missões de intervenção, incluindo mais de 3 mil no Afeganistão, a maioria treinando forças locais de segurança.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below