February 6, 2014 / 7:49 PM / 5 years ago

Dilma diz que sistema elétrico do país deve ser à prova de raios

BRASÍLIA/RIO DE JANEIRO, 6 Fev (Reuters) - A presidente Dilma Rousseff reafirmou nesta quinta-feira que o sistema elétrico brasileiro precisa ser à prova de raios, de acordo com o ministro da Comunicação Social, depois que o diretor-geral do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), Hermes Chipp, apontou uma descarga elétrica como possível causa do apagão desta semana.

Um grupo técnico começou a estudar nesta quinta-feira O que teria provocado os dois curto-circuitos em linhas de transmissão que levaram a um apagão de energia em diversos Estados do país na terça-feira, e um relatório conclusivo deve ficar pronto em até 15 dias.

“Uma das hipóteses é descarga elétrica”, disse o diretor-geral do ONS ao ser abordado por jornalistas quando saía da sede da autarquia, se referindo à possibilidade de um raio ter atingido o sistema.

No fim da tarde desta quinta-feira, o ministro da Comunicação Social, Thomas Traumann, disse a jornalistas que a presidente Dilma reafirmou sua declaração de 27 de dezembro de 2012 de que “o sistema elétrico brasileiro necessariamente precisa ser à prova de raios”.

“O Brasil é um dos países de maior quantidade de raios do mundo, o sistema elétrico brasileiro foi montado para ser à prova de descargas elétricas, com uma gigantesca rede de para-raios”, afirmou o ministro.

“Se raios foram realmente responsáveis pela queda no fornecimento de energia na última terça-feira, cabe ao ONS apurar se os operadores estão mantendo adequadamente sua rede de para-raios.”

Há informações de que descargas elétricas foram detectadas perto de uma das linhas afetadas pelo curto-circuito. “Os técnicos estão fazendo uma releitura dos equipamentos, se houve dano ao isolador, verificam porque o raio provocou o curto e se foi um raio”, disse Chipp.

“Só daqui a 15 dias (vamos saber), quando acredito que o relatório deve ficar pronto”, adicionou.

Mais uma vez, Chipp descartou a possibilidade de falha humana ou mecânica para o apagão dessa semana. “Mas pode ser que o curto tenha sido provocado por outros fenômenos. Falha humana está descartada”, frisou.

Por Jeferson Ribeiro, em Brasília; e Rodrigo Viga Gaier, no Rio de Janeiro

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below