February 8, 2014 / 7:53 PM / 5 years ago

Exército egípcio mata militantes no Sinai

Por Tom Perry

CAIRO, 8 Fev (Reuters) - O exército egípcio disse neste sábado que matou 16 islamistas no Sinai, e um novo grupo afirmou que realizou um ataque a bomba contra a polícia no Cairo, destacando o escopo da violência militante desde que o Exército tirou Mohamed Mursi do poder.

O Exército informou que sua aeronave atingiu islamistas radicais perto da fronteira do Sinai com a Faixa de Gaza na sexta-feira à tarde. Um comunicado os descreveu como pertencentes à Irmandade Muçulmana, que nega as acusações do governo de que tenha se voltado para a violência.

O Exército tem tentado tomar o controle do Sinai do norte dos islamistas armados, que voltaram seu foco de Israel para o governo desde que Mursi, membro da Irmandade, foi deposto em julho após protestos contra seu comando.

O Estado declarou a Irmandade como um grupo terrorista. A Irmandade diz que está comprometida com ativismo pacífico.

O Exército disse no sábado que uma bomba em uma estrada que tinha como alvo militares havia sido neutralizada no Sinai.

Embora muitos dos ataques contra as forças de segurança foquem o Sinai, bombas e tiroteios tornaram-se mais regulares e letais no Vale do Nilo e no Delta.

Um comunicado divulgado pelo novo grupo militante —Ajnad Misr, ou Soldados do Egito— assumiu a responsabilidade por duas bombas no Cairo na sexta-feira que tinham como objetivo a polícia egípcia e prometeu realizar mais ataques contra as forças de segurança.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below