February 26, 2014 / 10:10 PM / in 4 years

Líderes dos protestos na Ucrânia indicam ministros; tropas russas em alerta

Por Alessandra Prentice e Richard Balmforth

Ucranianos se reúnem na Praça da Independência em Kiev nesta quarta-feira. Os líderes dos protestos na Ucrânia indicaram os ministros que eles querem que façam parte do novo governo após a derrubada, no fim de semana, do presidente Viktor Yanukovich. REUTERS/Konstantin Chernichkin

SIMFEROPOL/KIEV, Ucrânia, 26 Fev (Reuters) - Os líderes dos protestos na Ucrânia indicaram os ministros que eles querem que façam parte do novo governo após a derrubada, no fim de semana, do presidente Viktor Yanukovich e num momento em que a Rússia coloca tropas em alerta máximo em uma demonstração de força.

A ordem do presidente russo, Vladimir Putin, para que 150.000 soldados estejam prontos para exercícios militares perto da Ucrânia foi o gesto mais ousado do Kremlin depois de vários dias de atitudes ameaçadoras desde que seu aliado Yanukovich foi destituído da Presidência no fim de semana.

O governo russo nega que as manobras militares, não anunciadas anteriormente, em seu distrito mais ocidental estejam relacionadas aos eventos no país vizinho, mas a convocação dos soldados ocorreu depois de uma série de comunicados estridentes sobre o destino dos cidadãos e interesses russos na Ucrânia.

Com a turbulência política afetando duramente a economia ucraniana, o Banco Central do país disse que não vai mais intervir para proteger a moeda nacional, a hryvnia, que caiu 4 por cento nesta quarta-feira e acumula agora uma queda de 20 por cento em seu valor em relação ao início de janeiro.

O fato de a hryvnia não estar mais atrelada ao dólar teve repercussão na Rússia, onde o rublo caiu a seu nível mais baixo em cinco anos e ações de bancos perderam valor.

Em Kiev, líderes dos protestos populares que levaram à derrubada de Yanukovich indicaram o ex-ministro da Economia Arseny Yatseniuk como sua opção para a chefia do governo interino.

Em uma demonstração de poder popular, o chamado conselho “Euromaidan” fez o anúncio do nome de Yatseniuk e de candidatos a vários outros postos-chave no gabinete, depois que seus membros fizeram um pronunciamento à multidão na Praça da Independência, epicentro das manifestações contra Yanukovich.

Oleksander Turchinov, agora presidente em exercício, disse que o novo governo terá de tomar decisões impopulares para afastar o risco de calote e garantir uma vida normal ao povo ucraniano.

As propostas do conselho Euromaidan terão de ser aprovadas pelo Parlamento, que se reunirá na quinta-feira em uma atmosfera pesada, depois dos recentes confrontos sangrentos, no qual morreram cerca de cem pessoas, agora chamadas de mártires pelos manifestantes.

CRIMEIA

O conselho indicou o diplomata de carreira Andriy Deshchytsya para ministro de Relações Exteriores e Oleksander Shlapak, ex-ministro da Economia e ex-vice-chefe do Banco Central, para o cargo de ministro das Finanças.

Andriy Paruby, líder da força de “autodefesa” que fez a proteção da zona de protesto em Kiev durante a ação policial nos três meses de conflito, foi apontado para posto de secretário do poderoso Conselho de Defesa e Segurança Nacional.

Na Crimeia, milhares de ucranianos de etnia russa, que formam a maioria da população local, se manifestaram pela independência. Eles entraram em confronto com manifestantes rivais que apoiam as autoridades de Kiev.

A Crimeia é a base de parte da frota da Rússia no Mar Negro, e o governo russo disse estar tomando medidas para proteger essa unidade militar.

Reportagem adicional de Gabriela Baczynska, em Donetsk; de Steve Gutterman e Ian Bateson, em Moscou; de Adrian Croft, em Bruxelas; e de Arshad Mohammed, em Washington

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below