May 8, 2014 / 1:58 PM / 5 years ago

Agência tailandesa anticorrupção abre processo contra ex-premiê

Por Amy Sawitta Lefevre

BANGCOC, 8 Mai (Reuters) - A agência de combate à corrupção da Tailândia indiciou nesta quinta-feira a ex-primeira-ministra Yingluck Shinawatra sob a acusação de negligência, decisão que surge um dia depois de uma corte a destituir do cargo e pode acabar com suas esperanças de qualquer retorno em eleições.

Milhares de pessoas leais a Yingluck se dirigiam para a capital quando a Comissão Nacional Anticorrupção (CNA) anunciou sua decisão de levar adiante as acusações relacionadas com um malogrado esquema estatal de financiamento para a compra de arroz.

Os golpes desferidos em dias sucessivos pela comissão e a Corte Constitucional da Tailândia são os episódios mais recentes na luta pelo poder entre o establishment ligado à realeza da Tailândia e o irmão de Yingluck, o premiê deposto Thaksin Shinawatra.

“A comissão investigou e há evidências suficientes para abrir o caso... Agora nós vamos encaminhá-lo ao Senado”, disse a jornalistas o presidente da CNA, Panthep Klanarongran.

Se for considerada culpada pelo Senado, Yingluck pode ser banida da política por cinco anos. Diversos outros membros de sua família e cerca de 150 de aliados de Thaksin foram banidos desde 2007.

A retirada de Yingluck do cargo pela Corte Constitucional na quarta-feira por abuso de poder ocorreu após meses de protestos às vezes violentos em Bangcoc, cujo objetivo era derrubar seu governo e dar um fim à influência de seu irmão Thaksin.

No entanto, a corte manteve o partido de Shinawatra no comando de um governo provisório para organizar a eleição geral do dia 20 de julho, para qual o partido de Yingluck é tido como favorito.

ESQUEMA DO ARROZ Foco da investigação levada a cabo pela comissão anticorrupção, o esquema de subsídio ao arroz foi um programa de destaque do governo Yingluck, voltado para a ajuda a seus seguidores no meio rural e pelo qual o Estado comprava a produção dos agricultores por preços bem acima do mercado.

Mas o governo pode conseguiu vender a maior parte do arroz rapidamente acumulado, tornando-se incapaz de pagar aos agricultores.

“O esquema incorreu em enormes perdas e tinha falhas e riscos em todos os níveis, desde o registro dos agricultores à venda do arroz”, disse a jornalistas Vicha Mahakun, membro da comissão.

Ativistas tanto a favor como contrários ao governo planejam grandes manifestações em Bangcoc para os próximos dias, levantando o temor de conflitos. Vinte e cinco pessoas já morreram desde o início dos protestos em novembro.

Reportagem adicional de Martin Petty

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below